Faça como Milhares de Outras Pessoas, Cadastre-se e Receba Atualizações Diretamente em seu e-mail!

Administração de medicamentos via subcutânea




A medicação injetada nos tecidos subcutâneo (tecido adiposo), abaixo da pele, se move mais rapidamente para a corrente sanguínea do que por via oral. A injeção subcutânea permite uma administração medicamentosa mais lenta e gradual que a injeção intramuscular, ela também provoca um mínimo traumatismo tecidual e comporta um pequeno risco de atingir vasos sanguíneos de grande calibre e nervos. Absorvida principalmente através dos capilares, as medicações recomendadas para injeção subcutânea incluem soluções aquosas e suspensões não irritantes contidas em 0,5 a 2,0 ml de líquido.

Objetivos:
Administrar vacinas, adrenalina, insulina e anticoagulantes;
Lentificar o tempo de absorção sistêmica do medicamento administrado.


Profissionais envolvidos:
Enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Realização da administração de medicamento pela via subcutânea:
Em atendimento à prescrição médica.

Material necessário:
Bandeja, luvas de procedimento, agulha para aspiração, agulha 13 x 4,5,  seringa de 1 ml, gaze estéril, álcool a 70%, medicamento prescrito, clorexidina alcoólica. 



Descrição do Procedimento:
  • Realizar a higienização das mãos
  • Conferir os nove certos: paciente certo, medicamento certo, dose certa, hora certa, via certa, registro certo, diluição certa s/n, riscos aos profissionais e riscos ao paciente;
  • Fazer e colocar o rótulo de identificação do medicamento com: nome, dose, horário, via de administração e paciente;
  • Preparar o medicamento utilizando a agulha de aspiração e a seringa de 1 ml;
  • Retirar a agulha de aspiração e inserir a agulha 13 x 4,5 mm na seringa;
  • Colar o rótulo de identificação no medicamento;
  • Realizar a desinfecção da bandeja com álcool a 70%;
  • Reunir o material a ser utilizado na bandeja;
  • Levar a bandeja até a unidade do paciente;
  • Informar e explicar o procedimento ao paciente;
  • Conferir o rótulo com os dados do paciente;
  • Posicionar o paciente de forma adequada ao procedimento;
  • Calçar as luvas de procedimento;
  • Fazer a antissepsia do local; 
  • Pinçar com os dedos a pele do local de administração (correta posição das mãos no instante
  • de aplicar a injeção: a seringa deve estar posicionada entre o polegar e o indicador da mão dominante. O profissional deve segurar a seringa como se fosse um dardo, deixando a palma da mão para cima);
  • Inserir em um único movimento a seringa com a agulha 13x4,5 mm no tecido subcutâneo em um ângulo de 90º;
  • Injetar lentamente o medicamento com a mão oposta que segura a seringa (soltar a prega do tecido);
  • Retirar a agulha e a seringa em um movimento rápido;
  • Aplicar leve compressão ao local com gaze; 
  • Recolher o material utilizado, deixando a unidade do paciente em ordem;
  • Desprezar os resíduos;
  • Descartar o material pérfuro cortante no recipiente próprio (sem desconectar a agulha da seringa e sem reencapá-la);
  • Retirar a luva de procedimento; 
  • Lavar a bandeja com água e sabão, secar com papel toalha e realizar a desinfecção com álcool a 70%;
  • Realizar a higienização das mãos;
  • Checar o horário da administração do medicamento na prescrição médica;
  • Fazer anotação de enfermagem, se houver intercorrências.
Cuidados Relacionados:
- Checar o medicamento após a sua administração e se não foi administrado circular o horário e anotar o motivo;
- Se o medicamento for dado fora do horário prescrito, checar o novo horário de administração e anotar o motivo;
- Registrar qualquer tipo de reação que o paciente possa ter após receber a medicação e comunicar ao enfermeiro responsável e/ou o médico;
- Administrar um volume máximo entre 0,5 mL e 1 ml (o tecido subcutâneo é extremamente sensível à soluções irritantes e grandes volumes de medicamento;
- Locais mais indicados para aplicação de medicamentos por via subcutânea: deltóide, face externa do braço, face externa da coxa, parede abdominal e região escapular;
- Introduzir a agulha em ângulo de 90º quando hipodérmica ou 45º quando agulhas comuns
ou hipodérmicas em crianças;
- Após aplicação de insulina ou heparina, o local não deve ser massageado; 
Realizar rodízio nos locais de aplicação;
- Não reencapar a agulha.




 
Enfermagem a profissão do cuidar