Pular para o conteúdo principal

Medicamentos por grupo Farmacológico


Os medicamentos constituem frequentemente um elemento essencial para recuperação da saúde. Uma vez que a Constituição Federal estabelece que "a saúde é direito de todos e dever do Estado", entende-se que o acesso aos medicamentos deva ser garantido. No entanto, para que se consolide este direito, os serviços de saúde devem ser estruturados e organizados de modo a promover o acesso dos usuários aos medicamentos prescritos de forma racional.



Vamos citar os Grupos e os principais medicamentos utilizados no âmbito hospitalar
A) MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA NERVOSO
1. Anestésicos gerais
  • Alfentanila (Cloridrato) 0,544mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Cetamina (Cloridrato) 50mg/mL (Portaria 344/98) Fr. Amp.
  • Etomidato 2mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Fentanila (Citrato) 0,05mg/mL (Portaria 344/98) Fr. Amp.
  • Propofol 200mg (Portaria 344/98) Amp.
  • Sulfentanila (Citrato) 5mcg/mL Espinhal (Portaria 344/98) Amp.
  • Sulfentanila (Citrato) 50mcg/mL Espinhal (Portaria 344/98) Amp.
  • Tiopental (Sódico) 0,5g (Portaria 344/98) Fr. Amp.
  • Sevoflurane 100ml (Portaria 344/98) Frasco

2. Anestésicos locais
  • Bupivacaína (Cloridrato) hiperbárica 0,5% Fr. Amp.
  • Levobupivacaína (Cloridrato) 0,5% c/ epinefrina (5mcg/mL) Fr. Amp.
  • Lidocaína (Cloridrato) 1% s/ vaso 20mL Fr.Amp.
  • Lidocaína (Cloridrato) 2% s/ vaso 5mL Amp.
  • Lidocaína (Cloridrato) c/ epinefrina 2% 20mL Fr.Amp
  • Lidocaína (Cloridrato) hiperbárica 5% Fr. Amp.
  • Lidocaína (Cloridrato) 2% geleia Tubo

3. Anticonvulsivantes
  • Diazepam 5mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Diazepam 10mg (Portaria 344/98) Comp.
  • Fenitoína 50mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Fenitoína 100mg (Portaria 344/98) Comp.
  • Fenobarbital 100mg (Portaria 344/98) Comp.
  • Fenobarbital sol. oral 4% (Portaria 344/98) Fr. gts.
  • Fenobarbital Sódico 200mg/mL (Portaria 344/98) Amp.

4. Analgésicos e antipiréticos
  • Dipirona 500mg/mL Amp.
  • Paracetamol 750mg Comp.
  • Paracetamol sol. oral 200mg/mL Fr. gts.

5. Hipnoanalgésicos
  • Morfina 1mg/mlL (Portaria 344/98) Amp.
  • Nalbufina (Cloridrato) 10mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Petidina (Cloridrato) 50mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Tramadol (Cloridrato) 50mg (Portaria 344/98) Amp.

6. Sedativos-hipnóticos
  • Midazolan 15mg/3mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Midazolam 50mg/mL (Portaria 344/98) Amp.

7. Neurolépticos
  • Clorpromazina (Cloridrato) 5mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Haloperidol 2mg/mL (Portaria 344/98) Amp.
  • Haloperidol 2mg/mL (Portaria 344/98) Solução oral Fr.gts.

B) MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA CARDIOVASCULAR
1. Cardiotônicos
  • Deslanósido 0,4mg/2mL Amp.
  • Digoxina 0,25mg Comp.
  • Digoxina 0,05mg/mL Fr.gts

2. Antiarrítmicos
  • Adenosina 3mg/mL Amp.
  • Amiodarona 50mg/mL Amp.
  • Amiodarona 200mg Comp.
  • Diltiazem 30mg Comp.
  • Esmolol 10mg/mL Amp.
  • Propranolol 40mg Comp.

3. Antianginosos
  • Isossorbida 5mg Sublingual Comp.
  • Isossorbida 10mg Comp.

4. Hipertensores e Simpatomiméticos
  • Adrenalina 1mg/mL Amp.
  • Dopamina 50mg/10mL Amp.
  • Dobutamina 250mg/20mL Amp.
  • Etileferina (cloridrato) 10mg/mL Amp.
  • Norepinefrina 1mg/mL Amp.

5. Anti-hipertensivos
  • Captopril 12,5mg Comp.
  • Furosemida 10mg/mL Amp.
  • Furosemida 40mg Comp.
  • Hidralazina 25mg Comp.
  • Hidralazina 20mg/mL Amp.
  • Manitol sol. 20% 250mL Fr. Amp.
  • Metildopa 250mg Comp.
  • Metildopa 500mg Comp.
  • Nifedipino10mg Cáps. gel
  • Nifedipino retard 20mg Comp.
  • Nimodipina 30mg Comp.
  • Nitroglicerina 50mg/10mL Amp.
  • Nitroprussiato de Sódio 50mg Amp.
  • Propranolol 40mg Comp.
  • Propranolol 10mg/mL Amp.

C) MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA RESPIRATÓRIO
1. Broncodilatadores
  • Aminofilina 24mg/mL Amp
  • Beclometasona 400mcg/mL Flc.
  • Fenoterol 5mg/mL Fr. gts.
  • Ipratrópio 0,025%/mL Fr. gts
  • Teofilina Xarope 100mg/15mL Fr.

2. Surfactantes
  • Alfa poractante 240mg (fração fosfolipídica de pulmão porcíno) Fr.

D) MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA DIGESTIVO,NUTRITIVO E METABOLISMO
1. Laxativos
  • Bisacodil 5mg Drágea
  • Glicerina 12% 250mL Tubo
  • Óleo Mineral Puro Fr.

2. Antiespasmódicos e Anticolinérgicos
  • Atropina 0,25mg/mL Amp.
  • N-Butil-Escopolamina (Brometo) 20mg/mL Amp.

3. Antieméticos
  • Domperidona 1mg/mL. Suspensão oral Fr.
  • Metoclopramida 10mg/2mL Amp.
  • Metoclopramida 10mg Comp.

4. Antifiséticos
  • Dimeticona 40mg Comp.

5. Inibidores da Secreção Gástrica
  • Ranitidina (Cloridrato) 150mg Comp.
  • Ranitidina (Cloridrato) 25mg/mL Amp.

6. Vitaminas
  • Polivitamínico (Vits. A,B1,B2,PP,B6,B5,H,C,D,E) 20mL Fr. gts
  • Vitamina C 500mg Comp.
  • Vitamina C 200mg/mL. Solução oral Fr. gts.
  • Vitamina K1 (Fitomenadiona) 10mg/mL Amp.

E) REPOSITORES HIDROELETROLÍTICOS
  • Água Bicarbonatada 3%. Solução oral Frs
  • Bicarbonato de Sódio 10%/10mL Amp.
  • Cloreto de Potássio 10%/10mL Amp.
  • Cloreto de Potássio Xpe 6% Fr.
  • Cloreto de Sódio (Sol. Hipertônica) 20%/10 mL Amp.
  • Cloreto de Sódio (Sol. Isotônica) 0,9%/100mL Fr. Amp.
  • Cloreto de Sódio (Sol. Isotônica) 0,9%/250mL Fr. Amp.
  • Cloreto de Sódio (Sol. Isotônica) 0,9%/500mL Fr. Amp.
  • Cloreto de Sódio 0,9% 10ml Amp.
  • Frutose 5% 500mL Tubo
  • Glicose (Sol. Hipertônica) 25%/10mL Amp.
  • Glicose (Sol. Hipertônica) 50%/10mL Amp.
  • Glicose (Sol. Isotônica) 5%/250mL Fr. Amp.
  • Glicose (Sol. Isotônica) 5%/500mL Fr. Amp.
  • Glicose (Sol. Isotônica) 10%/250mL Fr. Amp.
  • Glicose (Sol. Isotônica) 10%/500mL Fr. Amp.
  • Gluconato de Cálcio 10%/10mL Amp.
  • Sol. Glicofisiológica 1:1 500mL Fr. Amp.
  • Sol. Ringer com Lactato 500mL Fr.Amp.
  • Sulfato de Magnésio 50%/10mL Amp.

F) MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA GENITOURINÁRIO E HORMÔNIO SEXUAIS
1. Diuréticos
  • Espironolactona 25mg Comp.
  • Espironolactona 2,5mg/mL. Solução oralFrs.
  • Furosemida 10mg/mL Amp.
  • Furosemida 40mg Comp.
  • Furosemida 1mg/mL. Solução oral Frs.
  • Hidroclorotiazida 50mg Comp.
  • Hidroclorotiazida 5mg/mL. Solução oral Frs.
  • Manitol Sol. 20% 250mLFr. Amp.

2. Hormônios Sexuais
  • Medroxiprogesterona (Acetato) 150mg Fr.Amp

3. Estimulantes Uterinos
  • Ocitocina 5UI/mL Amp.

G) DIÁLISE
  • Sol. p/ Diálise Peritoneal s/ Glicose 500mL Fr.Amp

H) MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SANGUE E SISTEMA HEMATOPOIÉTICO
1. Antianêmicos
  • Ácido Fólico 0,2mg/mL Fr. gts
  • Sulfato Ferroso 40mg Comp.
  • Sulfato Ferroso 25mg/mL(Ferro) Fr. gts

2. Anticoagulantes
  • Heparina (Sódica) 25.000UI/5ml Fr. Amp.
  • Heparina Sub-Cutânea 5.000UI/0,25ml Amp.
  • Varfarina 5mg Comp.
  • 3. Antihemorrágicos
  • Vitamina K1 (Fitomenadiona) 10mg/mL Amp.

I) MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO
1. Antinflamatórios não esteroidais
  • Diclofenaco 75mg/3mL Amp.

2. Bloqueadores neuro-musculares
  • Pancurônio (Brometo) 2mg/mL Amp.
  • Suxametôneo (Cloreto) 100mg Fr.Amp.
  • Cisatracúrio 20mg/10ml Amp.

– Colinérgicos
  • Neostigmina (Brometo) 0,5mg/mL Amp.

J) MEDICAMENTOS DE USO TÓPICO E RINO-OFTÁLMICO
1. Rino-Oftalmológicos
  • Acetilcisteína (assoc.) gotas nasais Fr.gts
  • Tobramicina Sol. Oftálmica 0,5% Fr,gts
  • Vitelinato de Prata sol. Oft. 10% 5m Fr.gts.

2. Dermatológicos
  • Clostebol + Neomicina Bisng.
  • Clotrimazol Creme Bisng.
  • Diclofenaco Gel Bisng.
  • Neomicina + Bacitracina Bisng.
  • Nitrato de prata em bastão Bst.
  • Vitamina A + D Bisng.
  • Colagenase + Clorofenicol pda. Tóp. 15g Bisng.
  • Óleo vegetal poliinsaturado (Assoc.) Hid. Corporal Frs.

L) MEDICAMENTOS DE AÇÃO ENDÓCRINA
1. Corticosteróides e Anti-Histamínicos
  • Dexametasona (Fosfato Dissódico) 4mg/mL Fr. Amp.
  • Dexametasona elixir 0,5mg/5mL Fr.
  • Hidrocortisona (Succinato Sódico) 100mg Fr. Amp.
  • Hidrocortisona (Succinato Sódico) 500mg Fr. Amp.
  • Prednisona 5mg Comp.
  • Prednisona 20mg Comp.
  • Prometazina 25mg Comp.
  • Prometazina 25mg/mL Amp.

2. Antidiabéticos
  • Clorpropramida 250mg Comp.
  • Insulina Regular 100UI Fr. Amp.
  • Insulina NPH 100UI Fr. Amp.

M) ANTÍDOTOS
  • Flumazenil 0,5mg/5mL Amp.
  • Naloxona (Cloridrato) 0,4mg/mL Amp.
  • Neostigmina (Brometo) 0,5mg/mL Amp.
  • Protamina (Sulfato) 1% Amp.

N) AGENTES IMUNIZANTES E PROSTAGLANDINAS
  • Alprostadil 500mcg/mL Amp.
  • Imunoglobulina anti Rho (D) 300mcg /1,5 mL Fr. Amp.
  • Misoprostol 200mcg Comp.
  • Misoprostol 25mcg Comp.

O) ANTIMICROBIANOS
1. Penicilinas
  • Ampicilina 500mg Comp.
  • Ampicilina (Sódica)1g Fr. Amp.
  • Benzilpenicilina Potássica 5.000.0000UI Fr.Amp.
  • Benzilpenicilina Benzatina 1.200.000 UI Fr. Amp.
  • Oxacilina 500mg Fr. Amp.

2. Cefalosporinas
  • Cefalexina 500mg Comp.
  • Cefalotina (Sódica) 1g Fr. Amp.
  • Cefazolina 1g Fr.Amp.
  • Cefotaxima 1g Fr. Amp.
  • Ceftazidima 1g Fr.Amp.
  • Ceftriaxona 1g IV Fr.Amp.
  • Cefepime 2g IV Fr.Amp.

3. Aminoglicosídeos
  • Amicacina (Sulfato) 500mg/2mL Amp.
  • Gentamicina (Sulfato) 20mg/mL Amp.
  • Gentamicina (Sulfato) 80mg/2mL Amp .

4. Carbapenêmicos
  • Meropenem 500mg Fr. Amp.

5. Glicopeptídeos
  • Vancomicina 500mg Amp.

6. Imidazóis
  • Metronidazol 250mg Comp.
  • Metronidazol 500mg Fr. Amp.

7. Nitrofuranos
  • Nitrofurantoína 100mg Comp.

8. Quinolomas
  • Ciprofloxacino 200mg/100ml IV Fr.Amp.

9. Macrolídeos
  • Esterearato de Eritromicina 500mg Comp.

10. Lincosaminas
  • Clindamicina 600mg/4ml Amp.

P) ANTIFÚNGICOS
  • Anfotericina B Fr. amp.
  • Clotrimazol creme Tubo
  • Nistatina 100.000 UI/mL Fr. gts

Q) ANTIPARASITÁRIOS

  • Ivermectina 6mg Comp
  • Benzoato de Benzila Emulsão tóp 25% Frs.

R) ANTISSÉPTICOS, DESINFETANTES E ESTERILIZANTES
  • Ácido Acético 2%
  • Ácido Acético 5%
  • Ácido Tricloroacético 85%
  • Água Oxigenada 10 vol.
  • Álcool Absoluto 99,5 GL
  • Álcool Etílico 70%
  • Álcool Glicerinado 2%
  • Álcool Iodado 0,5%
  • Azul de metileno 1%
  • Azul de toluidina 1%
  • Cetilpiridínio solução colutória
  • Clorexidina (gluconato) 2%
  • Detergente enzimático
  • Éter
  • Formol 10%
  • Glutaraldeído 2%
  • Hipoclorito de Sódio 1%
  • Hipossulfito de sódio 50%
  • Lugol 2%
  • Polivinil + Pirrolidona + Iodo 1% (veiculo aquoso)
  • Polivinil + Pirrolidona + Iodo 1% (degermante)
  • Sabonete líquido glicerinado
  • Sabonete líquido neutro
  • Álcool gel
  • Quaternário de Amônio
  • Clorexide solução alcoólica 0,5%

S) LUBRIFICANTES
  • Gel p/ ultrasonografia
  • Vaselina pura

T) DILUENTES
  • Água bidestilada 10mL Amp.
  • Água estéril p/ injeção 500mL Fr. amp.
  • Água estéril p/ injeção 1.000mL Fr. amp.


Top da Semana

Insuficiência Venosa Crônica e os cuidados de enfermagem

A insuficiência venosa crônica é definida como uma anormalidade do funcionamento do sistema venoso causada por incompetência valvular, associada ou não à obstrução do fluxo venoso. Pode afetar o sistema venoso superficial, o sistema venoso profundo ou ambos. Além disso, a disfunção venosa pode ser resultado de um distúrbio congênito ou pode ser adquirida.
O resultado dessa disfunção no sistema venoso é a instalação de um estado de hipertensão venosa. Essa sobrecarga venosa ocorre devido à intensificação do fluxo sanguíneo retrógrado que sobrecarrega o músculo da panturrilha a ponto deste não conseguir bombear quantidades maiores de sangue, na tentativa de contrabalançar a insuficiência das válvulas venosas.



As úlceras podem causardor local, edema, podendo apresentar exsudato e odor fétido. A sua localização mais frequente é em torno do maléolo medial e do terço distal da perna.
Etiopatogenia
1 – Próprios da patologia venosa periférica • Obstrução venosa profunda (Síndrome pós-trombólica*) •…

Instrumentação cirúrgica

Umas das principais frases que o instrumentador cirúrgico adora ouvir é: “Vamos entrar em campo”. O Instrumentador é fundamental para realização de uma cirurgia, e está presente desde o paciente mais compreensivo ao mais difícil de se fazer entender, desde a cirurgia mais simples até a mais complexa.
Mais do que conhecer os materiais específicos utilizados em cada tipo de operação, é fundamental que o instrumentador cirúrgico tenha bom relacionamento com os profissionais que estão à sua volta e seja comprometido com o trabalho para garantir o dia-a-dia na atividade.
O comprometimento vai muito além de montar a mesa cirúrgica e alcançar pinças ou segurar afastadores, é comprometimento com a vida de quem está ali aos cuidados da equipe cirúrgica, confiando que o cirurgião fará o seu melhor para garantir o sucesso do procedimento, porém isso não depende apenas dele. Depende também da atenção de quem o acompanha durante o ato, um instrumentador ágil, comprometido e atento ao procedimento, c…

Febre Chikungunya

Febre Chikungunya é uma doença parecida com a dengue, causada pelo vírus CHIKV, da família Togaviridae. Seu modo de transmissão é pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito Aedes albopictus.
Seus sintomas são semelhantes aos da dengue: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. Porém, a grande diferença da febre chikungunya está no seu acometimento das articulações: o vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

A febre chikungunya teve seu vírus isolado pela primeira vez em 1950, na Tanzânia. Ela recebeu esse nome, pois chikungunya significa "aqueles que se dobram" no dialeto Makonde da Tanzânia, termo este usado para designar aqueles que sofriam com o mal. A doença, apesar de pouco letal, é muito limitante. O paciente tem dificuldade de movimentos e locomoção por causa das articulações inflamadas e doloridas, daí o "andar cur…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…