<data:blog.pageTitle/> <data:blog.pageName/> | Enfermagem a Profissão do Cuidar

Entendendo a Sepse

Chamada como septcemia ou sepsis É um conjunto de manifestações graves causada por infecção disseminada, conhecida também como infecç...

Chamada como septcemia ou sepsis

É um conjunto de manifestações graves causada por infecção disseminada, conhecida também como infecção generalizada, representa a principal causa de morte em clientes na Unidade de Terapia Intensiva – UTI.

As bactérias gram-negativas constituem os patógenos mais comuns, já as bactérias gram-positivas, vírus e fungos podem causar o choque séptico: uma intensa resposta inflamatória por todo organismo.

No entanto, criar um processo inflamatório é uma forma de defesa do organismo, a infecção pode estar localizada em apenas um órgão, mas provoca em todo organismo um resposta com inflamação numa tentativa de combater o agente da infecção, comprometendo assim alguns órgãos vitais.

DADOS

  • A sepse representa 25% da ocupação de leitos em UTIs no Brasil
  • Principal causa de morte em UTI
  • Uma das principais causas de mortalidade tardia, superando o infarto do miocárdio e câncer.
  • Representa 65% das taxas de mortalidade no Brasil.
  • Geradora de custos no setor público e privado.

FATORES DE RISCO

  • Procedimentos invasivos e dispositivos de demora.
  • Microorganismos resistentes a antibióticos.
  • População idosa (sistema nervoso envelhecido).
  • Desnutrição e imunossupressão.
  • Doença crônica.
  • Múltiplas cirurgias.

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

É um processo evolutivo, sendo que os sinais e sintomas são claramente definíveis e observáveis.

Estágios iniciais:
  • Pressão arterial dentro dos limites.
  • Aumento da frequência Cardíaca e Respiratória (>20 irpm).
  • Débito cardíaco aumentado
  • Hipertermia (febre)
  • Alterações do estado mental
  • No hemograma: leucócitos > 12000 ou abaixo de 4000 cel/mm3 e alteração da proteína C reativa.
Com agravamento:
  • Hipotensão
  • Débito cardíaco baixo
  • Piora da função dos rins
  • Pele fria e pálida
  • Frequência cardíaca e respiratória rápidas
  • Anúria

TRATAMENTO

  • Antibióticos e fluidos intravenosos
  • Cuidados médicos: ventilação mecânica, hidratação, líquidos intravenosos
  • Medicamentos: Bloqueadores neuromusculares e agentes sedativos reduzem a demanda metabólica, vasoconstritores, antibióticos de amplo espectro: inicialmente na primeira hora de tratamento, vasopressores e inotrópicos para a melhoria da perfusão tissular, e outros.
  • Dispositivos: cateter venoso central
  • Especialidades: intensiva, pediatria, clínica e emergência (Leia esta matéria sobre Medidas de Prevenção de Infecção do Trato Urinário, ANVISA)

MANEJO DE ENFERMAGEM (Brunner & Suddarth)

  • Identificar clientes que correm risco de sepse e choque séptico.
  • Realizar todos os procedimentos invasivos com técnica asséptica correta após cuidadosa higiene das mãos
  • Monitorar os acessos venosos, os locais de punção arterial e venosa, as incisões cirúrgicas, as feridas traumáticas, os cateteres urinários e as úlceras de pressão, à procura de sinais de infecção
  • Implantar intervenções para evitar a pneumonia associada ao respirador e úlceras de pressão
  • Controlar a temperatura do cliente (temperatura > 38° ou < 36°C), conforme prescrição, monitorar rigorosamente o cliente para tremores.
  • Administrar os líquidos IV e medicamentos prescritos
  • Monitorar e relatar os níveis sanguíneos (níveis máximos e mínimos de antibióticos, níveis de procalcitonina, proteína C reativa, ureia e creatinina; contagem de leucócitos; níveis de hemoglobina e hematócrito; contagem de plaquetas; coagulograma)
  • Monitorar o estado hemodinâmico, o equilíbrio hídrico e o estado nutricional
  • Controlar diariamente o peso e os níveis séricos de albumina e pré-albumina, para determinar as necessidades diárias de proteínas.
Contribuiu com este Artigo:




Mateus Henrique Dias Guimarães








REFERÊNCIAS

Instituto Latino Americano De Sepse. SEPSE. Disponível em: < https:// www.ilas.org.br > acesso em 10 de março de 2018.

Hospital Israelita Albert Einstein. SEPSE HEMODINAMICA. Disponível em: < https://www.einsein.br > acesso em março de 2018.

Brunner & Suddarth, Manual de enfermagem médico-cirúrgica / revisão técnica Sonia Regina de Souza; tradução Patricia Lydie Voeux. – 13. ed. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015. Choque séptico, p.315.



Nome

Auditoria,8,Centro Cirúrgico,20,Dicas de Saúde,13,Doenças,34,Medicamentos,25,Publieditorial,5,Relacionados à Enfermagem,100,Relacionados à Saúde,120,Técnicas de Enfermagem,37,
ltr
item
Enfermagem: Entendendo a Sepse
Entendendo a Sepse
https://1.bp.blogspot.com/-vRgYlf9aKgg/WuEPxpp1EKI/AAAAAAAAGDo/b65gPrnuk_cttW9WOP21VMDsQ4UQBTyRQCLcBGAs/s640/sepsis.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-vRgYlf9aKgg/WuEPxpp1EKI/AAAAAAAAGDo/b65gPrnuk_cttW9WOP21VMDsQ4UQBTyRQCLcBGAs/s72-c/sepsis.jpg
Enfermagem
https://www.enfermagemnovidade.com.br/2018/04/entendendo-sepse.html
https://www.enfermagemnovidade.com.br/
https://www.enfermagemnovidade.com.br/
https://www.enfermagemnovidade.com.br/2018/04/entendendo-sepse.html
true
7506902372674157562
UTF-8
Carregar todas as postagens Nenhum post encontrado VER TUDO Continuar lendo Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTAGENS VER TUDO RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODAS AS POSTAGENS Nenhuma postagem encontrada Página Inicial Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Oot Nov Dez Aagora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir CONTEÚDO PREMIUM BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe nas redes sociais PASSO 2: Click no link da sua rede social Copiar todo o código Selecionar todo o código Copiado para área de transferência Não pode copiar códigos / textos, pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C no Mac) para copiar