Situações que cortam o efeito do Anticoncepcional


A baixa dosagem hormonal dos anticoncepcionais mais modernos não influencia na eficácia deles. Em geral, de cada cem mulheres que tomam a pílula corretamente durante um ano, três engravidam. Isso ocorre porque nenhum método garante 100% de proteção, nem a laqueadura. Além de ser um contraceptivo, a pílula protege as mulheres contra a endometriose.




O que pode influenciar o efeito do anticoncepcional oral?

Esquecimento: O esquecimento de tomar a pílula por um período superior a 12 horas do horário habitual de ingestão do medicamento pode ocasionar uma redução da eficácia do método e, por isso, é importante utilizar um contraceptivo adicional, como a camisinha.

Alguns remédios tais como antibióticos, anticonvulsivantes e antidepressivos podem cortar ou diminuir a eficácia da pílula anticoncepcional e por isso sempre que é necessário tomar algum destes medicamentos, deve-se usar camisinha até 7 dias depois da última dose do remédio. E o contrário também pode acontecer: o contraceptivo cortar o efeito de um anticoagulante ou corticoides, por exemplo. 

Ter um episódio de vômito ou diarreia até 4 horas depois de ter tomado o anticoncepcional pode fazer com que ele não tenha tido tempo de ser absorvido pelo corpo, perdendo totalmente ou diminuindo sua eficácia.

Quem tem alguma doença inflamatória intestinal como a doença de Crohn, fez uma ileostomia ou tenha realizado um bypass jejunoileal tem mais risco de engravidar mesmo usando a pílula porque estas situações podem impedir o intestino delgado de absorver corretamente os hormônios, diminuindo assim sua eficácia na proteção contra a gravidez. 

Bebida alcoólica: Consumir bebidas como cerveja, caipirinha, vinho, vodka ou cachaça não diminui a eficácia da pílula. Mas é bom evitar o excesso de bebidas alcoólicas, porque tanto elas quanto a pílula são metabolizados no fígado, o que pode sobrecarregá-lo. Vale lembrar que as mulheres que consomem exageradamente este tipo de bebidas tem mais chances de esquecer de tomar a pílula na hora certa, aumentando o risco de uma gravidez indesejada.

Não existe nenhum chá que corta o efeito do anticoncepcional. Portanto, não há contraindicações quanto ao uso de qualquer tipo de chá por mulheres que tomam anticoncepcional, seja ele pílula, adesivo ou injetável. Porém, não se recomenda consumir mais de 5 xícaras de chás diuréticos, como os de cavalinha ou hibisco, momentos antes ou depois de tomar a pílula, por acreditar-se que poderá diminuir a eficácia por não ter tempo para absorver o medicamento que pode ser expelido do corpo pelo xixi.

O consumo de drogas ilícitas como maconha, cocaína, crack ou ecstasy, entre outras, não diminui diretamente a eficácia da pílula quimicamente porque os compostos não interagem entre si, mas como as mulheres que consomem drogas tem mais risco de esquecer de tomar a pílula na hora exata, é recomendado que quem as utilize, tenha outra forma de evitar a gravidez, porque elas são muito prejudiciais e colocam a vida do bebê em risco.