Faça como Milhares de Outras Pessoas, Cadastre-se e Receba Atualizações Diretamente em seu e-mail!

Síndrome de burnout entra para a lista de doenças da OMS



A síndrome de burnout será incluída na próxima revisão da Classificação Internacional de Doenças, segundo anúncio feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O burnout é o nível exagerado de estresse associado ao trabalho; entre os sintomas estão exaustão, insônia, negativismo e sentimento de derrota. 

A classificação é utilizada para estabelecer tendências e estatísticas de saúde. A nova versão da CID começa a valer em 2022. A lista, elaborada pelo órgão, tem por base as conclusões de especialistas de todo o mundo. 

Pasmem: 72% dos brasileiros que estão no mercado de trabalho sofrem alguma sequela ocasionada pelo estresse. Desse total, 32% sofreriam de burnout. E 92% das pessoas com a síndrome continuariam trabalhando. Estas informações são da pesquisa Isma-BR (representante da International Stress Management Association).

Burnout é um quadro de esgotamento profissional caracterizado por três sinais clássicos
  1. Esgotamento físico e psíquico (a sensação de não dar conta das tarefas); 
  2. Indiferença e perda de personalidade (não se importar mais com o próprio desempenho profissional, cinismo e apatia); e 
  3. Baixa satisfação profissional. Para além desses sintomas, podem aparecer sintomas físicos, como dor de cabeça, dor de coluna e distúrbios musculares.

Segundo o Ministério da Saúde, a síndrome é comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes, como médicos, enfermeiros, professores, policiais, jornalistas, dentre outros. 


Outros sintomas do burnout são cansaço excessivo (físico e mental), dor de cabeça frequente, alterações no apetite, insônia, dificuldades de concentração, sentimentos de fracasso e insegurança, negatividade constante, sentimentos de derrota e desesperança, sentimentos de incompetência, alterações repentinas de humor, isolamento, fadiga, pressão alta, dores musculares, problemas gastrointestinais e alteração nos batimentos cardíacos.
O tratamento do burnout é feito principalmente com psicoterapia mas também pode envolver medicamentos (antidepressivos e/ou ansiolíticos). Em alguns casos, o tratamento requer afastamento temporário do emprego e também mudanças nas condições de trabalho (como negociar limites de trabalho e de jornada com o empregador e dedicar-se a outras atividades além do trabalho, como exercícios físicos, relacionamentos familiares, atividades de lazer, entre outras).

Fonte divulgação - Portal R7 

Inteligência Artificial da Google provou ser muito eficaz em diagnosticar câncer do pulmão



Um novo estudo, conduzido por pesquisadores do Google e diversos centros médicos dos Estados Unidos, mostrou ótimos resultados da Inteligência Artificial (IA) na identificação de câncer de pulmão.

Inteligência Artificial e aprendizagem automática serão os maiores aliados do ser humano de agora em diante. 

Os pesquisadores criaram uma rede neural com base em IA e a treinaram fornecendo diversas tomografias de pacientes cujos diagnósticos eram já conhecidos. Alguns revelavam  o aparecimento de câncer de pulmão, algumas tomografias apresentavam exames de pacientes saudáveis e outros exames apresentavam nódulos que depois foram identificados como cancerosos.

Por fim, foi realizado um exame final com uso de dados que o sistema jamais tinha visto e o resultado foi uma nota A: após testes com 6.716 casos, o sistema obteve 94% de precisão.

A rede desenvolvida tem como base um algoritmo que aprende à medida que é utilizado. Ele passa por um processo conhecido como aprendizado profundo (deep learning), algo já utilizado para permitir que computadores compreendam a fala e identifiquem objetos.

O câncer de pulmão resulta em mais de 1,7 milhões de mortes por ano. Quer isto dizer que esta doença é a mais letal de todos os cancros em todo o mundo.

Cancros da mama, da pele e do ovário, são apenas alguns tipos de cancro que poderiam ser melhor tratados com a ajuda da IA. No entanto, as descobertas de investigações conseguidas nos últimos anos, podem perspetivar um diagnóstico mais precoce e preciso.

Coluna: Como Corrigir a Postura da Inclinação Para Trás!



A principal causa da má postura é a musculatura frágil nas costas e na região abdominal. Esses músculos precisam ser treinados, realizando exercícios posturais. Existem também outros fatores que favorecem as costas inclinadas. Eles incluem o hábito de se sentar à mesa na posição errada (pescoço esticado para frente e para trás arqueado).

Como Corrigir a Postura das Costas Dobradas?

Além de exercícios regulares, você pode melhorar:
  • A mobilidade das articulações.
  • Tenha cuidado com a postura e controle-a.
  • Músculos equilibrados em ambos os lados do corpo .
  • Melhore a flexibilidade muscular.
  • Fortalecer os músculos posturais.


Hábitos que Ajudam a Melhorar a Postura:
  • Se passar horas no computador, coloque um espelho no computador para que você possa avaliar sua postura.
  • Quando você precisa trabalhar por horas no computador, não se esqueça de descansar a cada hora. Também pode esticar as costas, ombros e pescoço.
  • Se você estiver carregando malas pesadas, distribua o peso em ambos os braços.
  • Se o seu problema já é crônico, então você pode comprar um corretor de postura. Você pode obtê-los em sites de comércio eletrônico.
  • Faça massagem nos músculos posturais e alongamento.
  • A posição correta influencia um corpo saudável. Não negligencie isso! Leve esta questão a sério e não se esqueça de se exercitar regularmente. Está provado: uma das melhores maneiras de
  • melhorar a postura é através da natação!


Casos de demência vão triplicar e OMS faz novas recomendações



A demência é um problema de saúde pública em rápido crescimento devido ao envelhecimento da população, afectando aproximadamente 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que o número de pessoas que sofrem de demência, causada em grande parte pela doença de Alzheimer, triplique até 2050. A OMS estima que, no conjunto da população, entre 5 e 8% das pessoas com 60 anos ou mais desenvolvam demência em algum momento das suas vidas.

Ter vida saudável e reduzir os comportamentos de risco diminui as chances de demência.

Fazer exercício físico com regularidade, optar pela dieta mediterrânea, não fumar, reduzir o consumo de álcool, controlar a diabetes e o colesterol podem significar ter mais anos de vida saudável e com menor risco de demências, frisa a Organização Mundial de Saúde (OMS) num novo alerta esta semana.


A doença de Alzheimer é a causa mais comum de demência e acredita-se que cause 60 a 70% dos casos, de acordo com a agência das Nações Unidas.

Vários estudos recentes constataram uma ligação entre o desenvolvimento de déficit cognitivo e a demência e os fatores de risco ligados ao estilo de vida, como inatividade física, tabagismo, dietas alimentares pouco saudáveis e o consumo nocivo de álcool, segundo a agência especializada da ONU.

Alguns distúrbios, como hipertensão, diabetes, colesterol alto, obesidade e depressão, estão associados a um risco aumentado de demência. Outros fatores de risco que podem ser mudados são o “isolamento social e a inatividade cognitiva”, aponta a OMS.

A OMS pede a implementação de uma estratégia pública para prevenir a doença. Cerca de 60% das pessoas com demência vivem em países de baixa e média renda, mas “esses países são os menos preparados para lidar com essa carga crescente”.

A demência gera custos adicionais para as famílias, mas também para os governos, bem como uma perda de produtividade para as economias, de acordo com a OMS.

Gonorreia pode ser transmitida por beijo na boca, diz estudo



Pesquisadores da Austrália realizaram um estudo e descobriram que o beijo na boca - de língua - também é uma forma de transmitir gonorreia orofaríngea. A pesquisa foi publicada no periódico BMJ Journals.

As descobertas podem ajudar a entender melhor sobre a transmissão e a resistência que a doença tem ao tratamento. A gonorreia oral, como também é chamada, atinge principalmente homossexuais e bissexuais masculinos. 

O enfermeiro Anthony Lutz do departamento de urologia do Centro Médico da Universidade de Columbia, em entrevista ao Washington Post,  afirmou não ter visto tais casos pessoalmente mas que o assunto já era falado dentro da comunidade médica.

Cateter totalmente implantado ou Port-a-cath®



O cateter tipo “PORT-A-CATH” é um dispositivo utilizado para administração de medicamentos, hidratação e eventualmente coleta de sangue. Uma opção segura e eficiente no manuseio de pacientes oncológicos. A sua indicação varia de acordo com as condições de acesso venoso do paciente, o regime e duração de quimioterapia.

Muitas das medicações utilizadas em oncologia são administradas através das veias. Estes tratamentos podem ser longos, e os medicamentos contra o câncer podem causar, por vezes, inflamações nas veias superficiais dos braços, que são mais sensíveis. Por isso foi desenvolvido um tipo de dispositivo para administração de medicamentos e coleta de exames, colocado diretamente nas grandes veias do corpo, o cateter totalmente implantado.

A escolha de um acesso vascular adequado é um componente fundamental no tratamento de pacientes com câncer, permitindo aos profissionais oferecer um acesso seguro e eficaz.

O uso de Anticoncepcional pode causar trombose?



O medo de ter trombose por uso de anticoncepcional faz com que muitas mulheres se preocupem quanto ao tipo de pílula usar e até busquem outros métodos contraceptivos. No entanto, o assunto ainda é envolto em detalhes e dúvidas que devem ser esclarecidas para prevenir o problema. 

O uso prolongado de anticoncepcional aumenta as chances de trombose, entretanto, pessoas propensas a riscos de doenças relacionadas à obesidade, doenças do coração e pulmão tem maior ameaça de desenvolvimento desta patologia.

A trombose se caracteriza pela formação de um coagulo sanguíneo impossibilitando a circulação nas veias.  Ainda por cima ela ocorre geralmente nas pernas causando inchaço e a impossibilidade de movimento.
No caso da trombose venosa, a obstrução costuma ser nos membros inferiores e, se o coágulo se desprender, pode causar complicações graves como a embolia pulmonar.

Já a trombose arterial pode parar o fluxo de importantes vias do cérebro, coração e outros órgãos, gerando Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou infarto agudo do miocárdio.

Há estudos apontam a teoria de que esse contraceptivo causa resistência às proteínas C-reativas, que são anticoagulantes naturais do organismo. Com isso, o sistema circulatório fica desequilibrado e mais propício a criar coágulos e, consequentemente, eventos relacionados à trombose.

Vale lembrar que nem todas as fórmulas são perigosas, sendo que as pílulas combinadas com estrogênio são as que estão mais relacionadas ao aumento de acometimentos vasculares e ainda que há outros fatores que podem aumentar ainda mais essa incidência.

O uso de alguns tipos de pílula pode aumentar de 1,2 a 1,8 vezes a chance de desenvolver trombose arterial, quadro que causa AVC ou infarto agudo do miocárdio. Já o risco de ter trombose venosa fica de três a seis vezes maior ao tomar contraceptivo oral. Contudo, o especialista afirma que o risco absoluto é baixo mesmo com esses quadros.

 
Enfermagem a profissão do cuidar