Pular para o conteúdo principal

Recepção do Cliente no Pós Operatório


Os cuidados de enfermagem no pós-operatório são aqueles realizados após a cirurgia até a alta.

Visam ajudar o recém operado a normalizar suas funções com conforto e da forma mais rápida e segura...

Incluímos nesses cuidados o preparo da unidade para receber o paciente internado.



Observação: nos hospitais que possuem no centro cirúrgico sala de recuperação, pós-anestésica, recebem os pacientes nestes locais imediatamente após a cirurgia dando-lhes assistência até a normalização de reflexos e sinais vitais.

Só posteriormente esse paciente é encaminhado a unidade onde estão internados.

Cuidados no preparo da unidade visa equipa-la para o recebimento do paciente operado, a fim de proporcionar-lhe conforto, segurança e rápido atendimento. Esse preparo é feito após o encaminhamento do paciente para a sala operatória.



Cuidados

-  Promoção da limpeza e ordem de todo o ambiente.
-  Arrumação da cama “tipo operado”.
-  Limpeza e arrumação da mesa de cabeceira.
-  Trazer suporte de soro e coloca-lo ao lado da cama.
-  Deixar oxigênio com equipamento completo.

Atendimento de enfermagem no pós-operatório

Ao receber o paciente no quarto.

-  Transporta-lo da maca para a cama com o auxilio de outros funcionários.
-  Manter a cama em posição horizontal.
-  Cobri-lo e agasalha-lo de acordo com a necessidade.
-  Verificar no prontuário o tipo de anestesia e cuidados;
-  Enquanto estiver semiconsciente, mantê-lo sem travesseiro com a cabeça voltada para o lado.
-  Observar o gotejamento do soro e sangue.
-  Observar estado geral e nível de consciência.
-  Verificar o curativo colocado no local operado, se esta seco ou com sangue.
-  Restringi-lo no leito com grades para evitar que caia.
-  Se estiver confuso, restringir os membros superiores para evitar que retire soro ou sondas.
-  Observar sintomas como: palidez, sudorese, pele fria, lábios e unhas arroxeados, hemorragia, dificuldade respiratória e outros, porque podem ocorrer complicações respiratórias e circulatórias.
-  Controlar, pulso, temperatura, respiração e pressão arterial.
-  Fazer anotação na papeleta.
-  Ler a prescrição medica, providenciando para que seja feita.
-  Qualquer sintoma alarmante deve ser comunicado imediatamente.





Nas horas em seguida:

-  Ao recuperar totalmente a consciência avisa-lo do lugar onde esta e que esta passando bem.
-  Periodicamente, controlar sinais vitais e funcionamento de soro e sondas.
-  Promover comodidade no leito.
-  Medica-lo para dor, quando necessário.
-  Movimenta-lo no leito, de decúbito.
-  Verificar e estimular a aceitação da dieta.  

Complicação pós-operatórias

Dor: é um dos primeiros sintomas a surgir no pós-operatório.O auxiliar neste caso deve administrar o medicamento analgésico comunicar o fato a enfermeira, fazer anotação sobre a dor e sobre as providencias tomadas.

Vômitos: pode haver nas primeiras 24 horas o auxiliar deve colocar o paciente com a cabeça voltada para o lado e avisar a enfermeira, administrando o medicamento se houver prescrição.Fazer anotação.

Sede: para evitar o ressecamento da boca, deve-se umedece-la com água e lubrificar os lábios com vaselina.

Complicações pulmonares:

As mais comuns são: pneumonia e embolia pulmonar. Para prevenir o aparecimento dessas complicações o auxiliar deve:

-  Movimentar o paciente no leito.
-  Força-lo a tossir.
-  Ensina-lo a realizar exercícios respiratórios.
-  Estimular deambulação.

Complicação urinarias:

Podem ocorrer:

-  Infecções urinarias.
-  Retenção urinaria.
-  Anuria.

No ato de retenção urinaria, deve-se estimular a micção pelos seguintes meios:

-  Compressa de éter sobre a bexiga.
-  Abrir a torneira mais próxima.
-  Sondagem vesical de alivio em ultimo caso.

Complicações gastro intestinais:

Pode ocorrer obstrução intestinal, por isso o numero e aspecto da evacuação deve ser sempre anotada.

Complicações da ferida operatória

As mais freqüentes são:

-  Hematoma ocorre por haver uma hemorragia oculta na ferida.Quando é grande, pode interferir no processo de cicatrização.
-  Infecção ocorre devido a diversos fatores, inclusive devido a curativo mal feito.

Rotura ou deiscência

É uma abertura que ocorre na ferida operatória, que ocorre devido à infecção ou grande distensão abdominal.

Retirada de pontos

A cicatrização é um processo que ocorre de dentro para fora.

Pode ocorrer sem nenhum problema (primeira intenção), apresentar dificuldade para cicatrização imediata (segunda intenção) ou ainda necessitar de uma nova sutura (terceira intenção).

A retirada de pontos é feita geralmente no sétimo dia após a cirurgia ou nos dias posteriores.

Material necessário:

-  Pinça anatômica
-  Tesoura
-  Bisturi ou gilete
-  Gases
-  Anti-sépticos
-  Esparadrapo

Procedimento

-  Observar as condições da ferida
-  Retirar pontos alternados e se não houver problemas retirar o restante

Top da Semana

Oxímetro de Pulso

oxímetro de pulso é um dispositivo médico que mensura indiretamente a quantidade de oxigênio que o sangue está transportando. Trata-se de uma monitorização não invasiva da saturação de oxigênio do sangue arterial.
O nível de oxigênio mensurado com um oxímetro é chamado de nível de saturaçãode oxigênio (abreviado como O2sat ou SaO2). A SaO2 é a porcentagem de oxigênio que seu sangue está transportando, comparada com o máximo da sua capacidade de transporte. O padrão de normalidade varia entre 90 - 100% de SpO2.


O Oxímetro substitui a necessidade de Gasometria Arterial?
O oxímetro mensura indiretamente a quantidade de oxigênio que é transportada pelo sangue, e não é invasivo. Já a gasometria arterial é um procedimento invasivo e mensura diretamente tanto a quantidade de oxigênio transportada pelo sangue quanto a de gás carbônico (dióxido de carbono). 
Material necessário para instalação do Oxímetro: Equipamento: Oxímetro de pulso;Sensor adulto ou infantil (permanente ou descartável);Álcool…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Cuidados com a Gastrostomia

Gastrostomia e jejunostomia são procedimentos cirúrgicos para a fixação de uma sonda alimentar. Um orifício criado artificialmente na altura do estômago ou na altura do jejuno, objetivando uma comunicação entre a cavidade do estômago e a parede do abdômen.
O alimento pode ser administrado por uma bomba infusora ou através de seringa (alimentação em bolus). O preparo e "porcionamento" da dieta terá que seguir rigorosamente a orientação dada pelo nutricionista ou nutrólogo.
A higiene é fundamental para minimizar a contaminação da dieta e consequentes complicações gastrointestinais. Antes do preparo da dieta, é necessário realizar a lavagem adequada das mãos, dos alimentos e de todo material que será utilizado, bem como dos utensílios e da bancada onde haverá a manipulação. Depois da lavagem, recomendamos friccionar álcool a 70% na bancada e utensílios.

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…