Pular para o conteúdo principal

Rediluição de Medicações em Neonatologia


Rediluição é utilizada no preparo de medicações em Neonatologia e Pediatria, pois são prescritas doses que são calculadas por meio do peso ou da superfície corporal da criança e que, portanto, não estão comercialmente disponíveis para uso, precisam ser preparadas rediluindo-se a medicação.
O que é rediluição?
 Rediluir consiste em diluir o medicamento dentro do padrão de costume, depois, avaliar quanto contém em cada 1 ml, aspirar esse 1ml e redilui-lo em 9 ml de água destilada, quantas vezes forem necessárias para que possamos aspirar a dose prescrita com exatidão.
Utiliza-se a rediluição quando se necessita de doses bem pequenas, como as utilizadas em: neonatologia, pediatria e algumas clínicas especializadas.
Exemplo 1:Temos criança de 2 meses com 4kg internada em UTI pediátrica com quadro de IRA (infecção respiratória aguda). A prescrição médica (PM) é de Penicilina Cristalina 30.000UI. Temos frasco de Penicilina Cristalina de 5.000.000.  Percebe como a dose é pequena em relação ao volume disponível? então, como proceder?
1º Passo: Vamos diluir o conteúdo do frasco de 5.000.000 em 8ml de água destilada (lembrando que essa quantidade de Penicilina Cristalina acrescenta 2ml de pó, que dará um total de 10ml) então fica assim:
PC 5.000.000 _ 8ml AD + 2ml pó = 10 ml
          x _______ 1 ml (faça a conta cruzando os valores, multiplicando-os cruzado), que fica assim:
x . 10 = 5.000.000 . 1
      10 = 5.000.000 (depois, divida o resultado da direita pelo valor de “X” à esquerda), que fica assim:
x = 5.000.000               
      10
x = 500.00 (lê-se) Quinhentas mil unidades internacionais (Já diminuiu 10 vezes. Esse é o valor que temos agora em 1 ml da diluição)
Agora sim, é que vamos rediluir a medicação, esse 1 ml em outros 9 ml de AD (água destilada), e, desse total, vamos ver quanto haverá novamente em 1 ml
2º Passo: Aspirar 1 ml desta solução (que corresponde a 500.000UI de PC) e rediluir em 9 ml de AD. Novamente descobrir quanto terei em cada ml.
PC 500.000 _____ 1ml + 9 ml AD = 10 ml
                     x _____ 1 ml  (faz-se a multiplicação cruzada)
             
               x . 10 = 500.000 . 1
               x . 10 = 500.000
               x = 500.000
                       10
x = 50.000 (lê-se "cinquenta mil unidades internacionais").


Você lembra que a Prescrição Médica é de 30.000 UI, agora estamos chegando perto! Por enquanto, nesse segundo passo, temos 50 mil UI em 1m, então, vamos trabalhar com esse 1 ml para chegar a quantidade de PC que precisamos, como fazer?
3º Passo: Aspirar 1 ml desta solução (que contém 50.000UI de PC), descobrir quanto tenho que aspirar desse 1 ml para ter 30.000, aspirar esse tal valor e rediluir com mais água destilada ou SF 0,9% - de acordo com o protocolo da instituição - e por pra infundir, de preferência em bomba de seringa:
PC        50.000 UI ___________ 1 ml
Tenho  30.000 UI___________ ?  X ml  (multiplica-se cruzando os valores) fica assim:
              x . 50 = 30.000 . 1
              x 50.000 = 30.000
              x =  30.000 (dividido por)
                  50.000
x = 0,6ml
Preparo: Aspirarei então (dessa rediluição onde tenho 50.000 UI em cada 1 ml) 0,6 ml. Terei nesse 0,6 ml 30.000UI de Penicilina Cristalina que é a prescrição médica, porém, não posso administrá-lo assim, preciso aspirar essa dose com a seringa de 1 ml (própria para insulina de 100UI) até a marca de 60 UI que é igual a 0,6 ml. Também já preparo outra seringa de 10 ml e injeto esse 0,6 ml de PC nesta seringa de 10 ml e completo com SF 0,9% ou AD até a marca de 5 ml. Identifico corretamente a seringa com os dados da medicação prescrita e os dados do RN de acordo com o prontuário.
Antes de administrar, preciso me certificar de que o acesso venoso do RN está permeável e sem sinais flogísticos;
Preencher completamente o extensor da bomba de seringa com a medicação, tirando todo o ar;
Acoplar corretamente a seringa na bomba, no local exato e travando-a adequadamente;
Programar a bomba corretamente com: o volume total a ser infundido (nesse caso 5 ml), o tempo em que deve correr a solução ( 30 minutos, por exemplo), e o tipo de seringa que estou utilizando na bomba, nesse exemplo, seria a BD 10 ml, a bomba calculará automaticamente pra mim, quantos ml serão administrados por minuto e fica só aguardando que eu aperte o botão iniciar.
Conecto o extensor que já está conectado à seringa no acesso do RN (após todas as checagens já descritas);
Apertar o botão da BI para iniciar a infusão da medicação;
Quando faltar aproximadamente 1 ml ( que é aprox. a quantidade de medicação final que estará no extensor) o alarme da bomba soará, porque a mesma entenderá que a medicação da seringa acabou e ainda falta 1 ml então aspiro mais 1 ml na seringa e aperto o botão para continuar a infusão da bomba de seringa, esta então, irá infundir agora a medicação restante no extensor até chegar a soma os 5 ml previamente programados para correr, e, o SF que sobrar, neste caso, serviu apenas para que a bomba infundisse toda a medicação, incluindo a que estava no extensor (nada mais, nada menos).


Exemplo 2: A prescrição médica (PM) é de 180.000UI de PC EV para RN de 8 dias para tratar sífilis. A disponibilidade é o frasco de 5.000.000 UI já diluído em 8ml de AD (guardado em geladeira após reconstituição), quanto aspiro, e em quanto rediluo para administrar no RN por bomba de seringa em 1 hora.
1º passo: Fazer a conta para ver quanto é em ml 180.000UI de PC do frasco que já disponho.
Tenho 5000.000UI__________10ml (8ml AD + 2ml pó)
A PM      180.000UI __________Xml
5000.000. X = 180.000.10 (lê-se cento e oitenta mil unidades internacionais)
5.000.000X = 1.800.000 (lê-se um milhão e oitocentas mil unidades internacionais)
X = 1.800.000 : 5.000.000 = 0,36 ml
Resposta: Devo aspirar 0,36 ml de PC na seringa de 1ml e rediluir com SF 0,9% até completar 5ml em seringa de 10 ml para instalar na bomba de seringa programada para correr em 1 hora.
Resumo sobre a administração da Penicilina Cristalina em Neonatologia e Pediatria
A penicilina G sódica e potássica é um antibiótico muito usado por via IV em pediatria. O frasco é de 5.000.000UI, e as doses pediátricas variam de 100.000UI a 400.000UI/kg/dia. Sua apresentação é em forma de pó liofilizado que deve ser reconstituído com um diluente compatível. A solução resultante dessa reconstituição precisa ser acrescida a um veículo compatível antes de sua infusão.
Esse veículo pode ser SF a 0,9% na proporção de 10.000UI/mL. A infusão IV deve ser em aproximadamente 60 minutos.
Ao diluir a penicilina G sódica e potássica, deve-se considerar a alteração de volume que ocorre quando a mesma é reconstituída. O pó liofilizado do fármaco acresce cerca de 2mL ao volume do diluente adicionado. Neste caso, para obter uma concentração de 5.000.000UI de penicilina cristalina em 10mL de solução, deve-se acrescentar ao frasco 8mL de diluente.
Dentre os processos matemáticos, a regra de três é a mais utilizada para a resolução de problema envolvendo a diluição de medicamentos. A regra de três consiste em relacionar grandezas proporcionais em que são conhecidos três termos, e a relação matemática entre eles permite determinar o quarto termo (desconhecido). As grandezas mais relacionadas entre si em cálculos de medicamentos pela enfermagem são concentração/volume (mg/mL) ou volume/tempo (mL/  hora ou mL/minuto). A seguir apresentam-se situações de aplicação da regra de três.
Exemplo situacional 1– Qual volume representa 20mg de gentamicina, considerando a ampola de 80mg/2mL?
Para resolver a situação 1, é preciso utilizar uma regra de três envolvendo a relação concentração/volume (mg/mL), veja a regra de três aplicada a esse caso:
Aplicando a regra de três, teremos:
80mg – 2mL      (Tenho 80mg em 2ml)
20mg –   X          (Terei 20mg - que é a PM em quantos ml?)
80x = 20 * 2 Cruzo os valores e multiplico entre eles                  
X = 40/80 Divido o resultado  obtido (do lado direito) pelo obtido (do lado esquerdo)                                                        
 x = 0,5mL Encontro o resultado
Resposta: 20mg da ampola de gentamicina 80mg/2mL é igual a 0,5mL.
Só tem dúvidas aquele que sabe!Toda dúvida com relação à administração de medicamentos precisa ser valorizada. Por isso salientamos que:
- Nenhum medicamento deve ser administrado enquanto os cálculos não forem refeitos e as dúvidas não forem sanadas;
- É necessário ter disponível material bibliográfico para consulta nas unidades onde esse procedimento é realizado;
- Conforme o caso, discutir com os demais profissionais envolvidos, como farmacêuticos e médicos;
- É importante ter sempre à disposição, nos locais de preparo e administração de medicamentos, calculadoras para a realização dos cálculos e manuais para consulta específica.




Top da Semana

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Sintomas e Tratamentos do Cisto Pilonidal

Cisto Pilonidal é a formação de uma bolsa a partir de qualquer tecido do corpo que pode compreender em seu interior ar, líquido, pus ou outro fluido. O cisto pilonidal é uma doença crônica muito comum, variante do cisto dermoide, e aparece habitualmente na região terminal da coluna vertebral (região sacrococcigiana ou sacrococcígea), conhecida popularmente como cóccix, alguns centímetros acima do ânus.
É muito comum que se encontre cabelos dentro do cisto pilonidal (“ninho de pêlos”), além de fragmentos de pele, glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas. Quando o acúmulo desse material resulta em uma inflamação, dando sinais de infecção e pus, o cisto pilonidal é também chamado de abscesso pilonidal. Apesar de ser conhecido por ocorrer na região do cóccix, o cisto pilonidal também pode surgir nos olhos, nariz, axilas, couro cabeludo e ao redor do umbigo. Acomete mais os homens jovens entre 15 e 30 anos.

Os sintomas do cisto pilonidal só existem quando eles inflamam, nesses casos, os pa…

Doenças e Agravos de Notificação Compulsória

A vigilância epidemiológica tem como finalidade fornecer subsídios para execução de ações de controle de doenças e agravos (informação para a ação) e, devido a isso, necessita de informações atualizadas sobre a ocorrência dos mesmos. A principal fonte destas informações é a notificação de agravos e doenças pelos profissionais de saúde.
A escolha das doenças e agravos de notificação compulsória obedece a critérios como magnitude, potencial de disseminação, transcendência, vulnerabilidade, disponibilidade de medidas de controle, sendo a lista periodicamente revisada, tanto em função da situação epidemiológica da doença, como pela emergência de novos agentes e por alterações no Regulamento Sanitário Internacional. Os dados coletados sobre as doenças de notificação compulsória são incluídos no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN).
Notificação Compulsória: comunicação obrigatória à autoridade de saúde, realizada pelos médicos, profissionais de saúde ou responsáveis pelos estabel…

Arrumação de leito hospitalar

A técnica tem como função proporcionar repouso, conforto e segurança ao cliente. O cliente (paciente) é o elemento principal de qualquer instituição de saúde. 
Considera-se paciente todo o individuo submetido a tratamento, controle especiais, exames e observações medicas. O paciente procura o hospital quando atingido pela doença, cria nele angustia, inquietação, que leva a exagerar o poder e conhecimento sobre os profissionais que o socorrem, muitas vezes torna-se difícil o tratamento do doente, originando problemas de relacionamento (paciente pessoal).
Quando uma pessoa esta doente, precisa de ajuda para muitas das tarefas que habitualmente realiza sozinha. Parte do trabalho das pessoas que se dedicam, ao cuidado do paciente em um hospital é manter agradável o local que o cerca. Ficar em quarto limpo e com tudo em ordem ajudará o paciente a sentir-se melhor e tornará sua permanência no hospital mais agradável.
O leito é um fator importante na obtenção de repouso e conforto, sendo impres…

Bomba de infusão e os cuidados de enfermagem

A bomba de infusão é indicada para todo o paciente com prescrição de infusão em via parenteral ou enteral, nos casos onde se faz necessária a garantia rigorosa do gotejamento dos medicamentos prescritos. 
A bomba infusora é um dos mais práticos recursos habitualmente disponíveis na UTI e/ou Sala de Emergência, e mesmo em algumas ambulâncias modernas. Permite administrar de maneira confiável os fármacos mais delicados de acordo com dosagens de mg/min ou ml/h.
Normalmente utilizada em pacientes que precisam controle rigoroso do gotejamento, tais como: pacientes com ICC (insuficiência Cardíaca Congestiva), Insuficiência Renal, Neonatos prematuros, tratamento com quimioterápicos, drogas vasoativas para controle pressão arterial, drogas cardiovasculares, anestésicos durante cirurgias, administração de insulinas endovenosa. Cito alguns exemplos de drogas que requerem gotejamento controlado: Dopamina, Dobutamina, Adrenalina, Nitroprussiato de sódio, Noradrenalina, KCL (alguns casos) etc. Infus…