Pular para o conteúdo principal

Diazepam – Posologia, indicação, bula


Primeiramente é importante dizer que o diazepam só deve ser utilizado com prescrição médica, uma vez que, o remédio é controlado (faixa preta) e deve ser prescrito na dosagem certa para cada caso.  O diazepam (substancia ativa) faz parte de um grupo de medicamentos chamado benzodiazepínicos, é um sedativo e também exerce efeito contra ansiedade e convulsões, além disso, também atua como relaxante muscular.  A ação do medicamento ocorre cerca de 20 minutos de sua administração. Este medicamento pode ser administrado por via oral (comprimidos) ou injetável.


Indicação
O diazepam é indicado para alívio sintomático da ansiedade, tensão e outras queixas somáticas ou psicológicas associadas com a síndrome da ansiedade, também é usado como coadjuvante no tratamento da ansiedade ou agitação associada a desordens psiquiátricas, no alívio do espasmo muscular reflexo devido a traumas locais (lesão, inflamação e no tratamento da espasticidade devida a lesão dos interneurônios espinhais e supra espinhais tal como ocorre na paralisia cerebral e paraplegia, assim como na atetose e na síndrome rígida. Os benzodiazepínicos são indicados apenas para desordens intensas, desabilitantes ou para dores extremas. O diazepam só deve ser utilizado quando prescrito por seu médico.


Posologia 
A posologia deve ser individualizada. O tratamento deve ser iniciado com a menor dose apropriada eficaz para a condição particular. As doses orais usuais para adultos se iniciam com 5 – 10mg, dependendo da gravidade dos sintomas, o médico poderá recomendar doses de 5 - 20mg/dia. A duração do tratamento deve ser a menor possível, sendo que não deve exceder 2 à 3 meses, incluindo o período de retirada progressiva. A extensão além desse limite poderá ser feita após reavaliação da situação.  
O diazepam injetável é usado apenas em hospitais, sendo que a dose padrão utilizada para adultos e adolescentes depende da gravidade, do tipo de sintomas e do peso corporal. 
Pacientes idosos ou com distúrbios de funcionamento do fígado devem receber doses menores. 

Contraindicações, Advertências e Precauções 
Este medicamento é contraindicado para alérgicos ao principio ativo diazepam ou a qualquer componente da fórmula do produto. Além disso, deve ser evitado ou usado com precaução por pessoas com:
- Glaucoma de ângulo agudo (aumento da pressão intraocular);
- Miastenia gravis (doença que causa fraqueza e fadiga muscular), por causa do relaxamento muscular preexistente;
- Insuficiência grave dos pulmões ou do fígado e síndrome da apneia do sono (paradas respiratórias durante o sono);
- Menos de 12 anos de idade;
- O diazepam possui lactose em sua composição, assim intolerantes à galactose (a deficiência Lapp de lactase ou má absorção de glicose-galactose) não devem tomar esta medicação sem orientação médica;
- Gravidas e lactantes não devem utilizar este medicamento sem orientação médica. O diazepam passa para o leite materno, podendo causar sonolência e prejudicar a sucção da criança.

Interações Medicamentosas 
Não tome bebidas alcoólicas enquanto estiver em tratamento com diazepam, essa utilização concomitante tem potencial para aumentar os efeitos clínicos de diazepam, incluindo possivelmente sedação grave, depressão cardiovascular e/ou respiratória, clinicamente relevantes. Uma exceção à dependência de álcool é o gerenciamento das reações agudas de retirada. 
Não use e não misture remédios por conta própria, o diazepam influenciar ou sofrer influência de outros medicamentos, quando são administrados ao mesmo tempo. Caso esteja utilizando algum dos medicamentos ou substâncias mencionados a seguir, informe ao seu medico, uma vez que podem ocorrer interações.
1. Qualquer outro medicamento para o tratamento de doenças do sistema nervoso, incluindo tranquilizantes, sedativos, medicamentos para dormir, medicamentos contra convulsões, entre outros; 
2. Medicamentos para o tratamento de doenças do estômago: cisaprida, cimetidina e omeprazol; 
3. Antimicóticos (ou antifúngicos) administrados por via oral, como o cetoconazol. 
São recomendadas doses menores para pacientes com insuficiência respiratória crônica, por causa do risco de depressão respiratória. 
Devem ser usadas pequenas doses em pacientes idosos e debilitados. Devem ser observadas as precauções usuais no caso de pacientes com comprometimento da função renal ou hepática. 

Reações adversas 
Inquietude, agitação, irritabilidade, agressividade, ilusão, raiva, pesadelos, alucinações, psicoses, comportamento inadequado e outros efeitos adversos comportamentais, podem ocorrer com o uso de benzodiazepínicos, sendo mais prováveis em crianças e idosos. Além disso, os benzodiazepínicos podem induzir a amnésia anterógrada (incapacidade de reter fatos novos na memória, após a ingestão do benzodiazepínico), esta pode ocorrer com o uso de doses terapêuticas, e com risco aumentado em doses maiores.  
Efeitos de habilidade e atenção sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas podem ser comprometidos durante o tratamento.
O diazepam pode provocar cansaço, sonolência e relaxamento muscular, ataxia (desequilíbrio), disartria (dificuldade para falar), fala enrolada, dor de cabeça, tremores, tontura.
Muito raramente pode ocorrer icterícia e/ou frequência cardíaca irregular, aumento da fosfatase alcalina sanguínea e transaminases aumentadas. 
A administração intramuscular de diazepam injetável, ocasionalmente pode provocar dor local e vermelhidão na região da aplicação.

Abstinência ou Dependência 
O uso de benzodiazepínicos e similares pode levar ao desenvolvimento de dependência física ou psíquica, esse risco aumenta com a dose e duração do tratamento e em pacientes com história de abuso de drogas e/ou álcool. Quando ocorre dependência física, a retirada abrupta do tratamento será acompanhada de sintomas de abstinência como: dores de cabeça, dores musculares, ansiedade extrema, tensão, inquietude, confusão e irritabilidade. Em casos graves, podem ocorrer sintomas como despersonalização, desrealização, aumento da sensibilidade auditiva, dormência e sensibilidade nas extremidades, hipersensibilidade à luz, a barulho e a contato físico, alucinações ou convulsões. Como o risco de abstinência e rebote (reaparecimento temporário dos sintomas) é maior quando a descontinuação do tratamento é abrupta, é recomendado que a dosagem seja reduzida gradualmente.  

Superdosagem
A superdose de benzodiazepínicos, em geral, se manifesta por depressão do sistema nervoso central, em graus variáveis, desde sonolência, ataxia (falta de coordenação motora), disartria (dificuldades na fala) e nistagmo (movimentos anormais dos olhos). Coma, hipotensão (pressão baixa), depressão respiratória e diminuição dos reflexos podem ocorrer, mas são clinicamente tratáveis e reversíveis, se diazepam tiver sido ingerido sozinho. 






Top da Semana

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

A importância de tomar água

Você sabia que a sede é o primeiro sinal de desidratação? Ela, por sua vez, é um estado que afeta muito mais os tecidos e células do que o volume de sangue corrente. O que fazer? Para homens é recomendável (de idade de 19 a 70 anos) o consumo de 3,7 litros de água, já para as mulheres (de idade de 19 a 70 anos) é recomendável 2,7 litros de água. Cerca de 60% do peso do corpo humano é composto por água. Nosso corpo ao longo do dia vai eliminando todo esse líquido através da transpiração, suor, saliva, urina e fezes, por isso o consumo diário de água é tão importante. 
Benefícios do consumo de água:  * Limpeza do organismo * Controle da pressão sanguínea  * Proteção dos olhos * Proteção dos rins  * Firmeza e beleza da pele * Absorção de vitaminas  * Melhora do funcionamento intestinal  * Transporte de nutrientes para as células 
A água pode ser substituída? NÂO, ou não totalmente. Voce não deve deixar de lado a água para optar por um suco ou refrigerante, a água é extremamente importante para que n…

Arrumação de leito hospitalar

A técnica tem como função proporcionar repouso, conforto e segurança ao cliente. O cliente (paciente) é o elemento principal de qualquer instituição de saúde. 
Considera-se paciente todo o individuo submetido a tratamento, controle especiais, exames e observações medicas. O paciente procura o hospital quando atingido pela doença, cria nele angustia, inquietação, que leva a exagerar o poder e conhecimento sobre os profissionais que o socorrem, muitas vezes torna-se difícil o tratamento do doente, originando problemas de relacionamento (paciente pessoal).
Quando uma pessoa esta doente, precisa de ajuda para muitas das tarefas que habitualmente realiza sozinha. Parte do trabalho das pessoas que se dedicam, ao cuidado do paciente em um hospital é manter agradável o local que o cerca. Ficar em quarto limpo e com tudo em ordem ajudará o paciente a sentir-se melhor e tornará sua permanência no hospital mais agradável.
O leito é um fator importante na obtenção de repouso e conforto, sendo impres…

Lúpus tem cura?

O lúpus é uma doença auto-imune e por isso não tem cura, mas pode ser controlado, dessa forma as crises podem demorar anos para aparecer.
O lúpus pode danificar qualquer parte do corpo, desde a pele até aos órgãos através das articulações.
É uma doença que age por brotamento e, em seguida, parece desaparecer antes de voltar novamente.
Pesquisadores dizem que descobriram que, usando uma combinação de duas drogas já existentes, é possível reverter os efeitos do lúpus em ratinhos.

Em um novo estudo publicado na revista Sciense Translational Medicine, pesquisadores da Universidade da Flórida, Gainesville, descobriram que inibindo determinadas vias metabólicas em células do sistema imunológico que podem combater o lúpus em ratinhos. UF investigadores de saúde podem ter encontrado uma maneira de controlar o lúpus mudando a forma como as células do sistema imunológico utilizam energia.
"O resultado mais surpreendente deste estudo foi que a combinação dos dois inibidores metabólicos foram nec…

Insuficiência Venosa Crônica e os cuidados de enfermagem

A insuficiência venosa crônica é definida como uma anormalidade do funcionamento do sistema venoso causada por incompetência valvular, associada ou não à obstrução do fluxo venoso. Pode afetar o sistema venoso superficial, o sistema venoso profundo ou ambos. Além disso, a disfunção venosa pode ser resultado de um distúrbio congênito ou pode ser adquirida.
O resultado dessa disfunção no sistema venoso é a instalação de um estado de hipertensão venosa. Essa sobrecarga venosa ocorre devido à intensificação do fluxo sanguíneo retrógrado que sobrecarrega o músculo da panturrilha a ponto deste não conseguir bombear quantidades maiores de sangue, na tentativa de contrabalançar a insuficiência das válvulas venosas.



As úlceras podem causardor local, edema, podendo apresentar exsudato e odor fétido. A sua localização mais frequente é em torno do maléolo medial e do terço distal da perna.
Etiopatogenia
1 – Próprios da patologia venosa periférica • Obstrução venosa profunda (Síndrome pós-trombólica*) •…