Pular para o conteúdo principal

Tipos de Dores de Cabeça


É estimado que 90% da população mundial já apresentou ou irá apresentar algum episódio de cefaleia (dor de cabeça) ao longo da vida.  Segundo dados médicos em todo o mundo, 40% das pessoas sofrem pelo menos uma dor aguda na cabeça ao ano

Tem pessoas que sente dor só de vez em quando, já tem outras que sofre diariamente. Em todos os casos causam uma dor que incomoda demais. 

São diversos os fatores que nos levam sofrer com isso, mas existem 5 tipos bem comuns: o causado pela sinusite, as cefaleias tensional e cervicogênica, a famosa enxaqueca e a dor da DTM (Distúrbio Temporo Mandibular). 


Vamos abaixo abordar as 5 principais:

Sinusite

É causada por uma inflamação nos seios da face, que aparece após uma infecção, um quadro alérgico ou demais fatores que atrapalhem a drenagem da secreção nasal. Ela pode ser aguda, quando os sintomas ficam presentes até 12 semanas, e crônica, quando passa desse período. As dores fazem apenas parte dos sintomas dessa inflamação.


Cefaleia tensional

Dor de cabeça tensional é uma dor difusa, bilateral (dor nos dois lados da cabeça), em pressão ou aperto, de intensidade leve a moderada, cem enjôo, com duração que pode variar de meia hora a meses ou até anos a fio, e que não pode ser atribuída a nenhuma outra doença.
Pode ser associado com dor ou tensão no pescoço ou ombros. A ansiedade pode causar essa cefaleia. É uma dor que parece nunca passar.


Cefaleia cervicogênica

As causas são diversas, mas tensão, preocupação, ansiedade e estresse são os grandes vilões, pois em decorrência desses fatores, ocorre um excesso de contratura muscular na região dos ombros, pescoço, músculo trapézio e músculos pericranianos como o temporal, masseter e occipital, causando a patologia. A dor pode ser de um lado só ou pode ser dos dois lados.
A dor começa no pescoço e pode passar para toda a cabeça.



Enxaqueca

A enxaqueca caracteriza-se por ser uma dor de cabeça unilateral (70% dos casos), pulsátil e de início gradual, que costuma ir se agravando até atingir grande intensidade. A enxaqueca piora com luz forte e barulho,  e pode vir acompanhada de náuseas, vômitos ou tonturas. As dores normalmente pioram à movimentação de cabeça e ao esforço físico. Também é comum a hipersensibilidade do couro cabeludo, causando dor com uma simples escovação dos cabelos. As crises podem durar de 4h até 72h.
Mais comum em mulheres, a enxaqueca é uma doença crônica que afeta o equilíbrio bioquímico no cérebro que envolve hormônios e neurotransmissores (responsáveis, inclusive, pelo nosso humor e comportamento), sendo comum ela andar de mãos dadas com a depressão. Como a causa é um desequilíbrio bioquímico, maus hábitos alimentares, de sono e sedentarismo podem afetar diretamente. Ah, inclusive a TPM, quando há uma alteração no organismo. A dor pode ser leve como intensa e pode ser somada à enjoos e hipersensibilidades em geral.



DTM (Distúrbio Temporo Mandibular)

O Distúrbio Temporo Mandibular é uma disfunção na musculatura da mastigação e/ou na articulação temporomandibular (ATM). Especialistas não descobriram ainda a verdadeira causa do DTM, porém, existem hábitos que aumentam o risco de desenvolvê-lo, como: roer as unhas e mascar chiclete em exagero, sofrer algum trauma no local, ter predisposição genética ou até mesmo o estresse.



Cada tipo de cefaleia tem um tratamento específico. Porém, em casos eventuais a maioria das Cefaléias são tratadas com Analgésicos comuns. Mas atenção ao uso abusivo de analgésicos (acima de dois comprimidos por semana).  Se a frequência de cefaleia for intensa procure imediatamente um Médico para conduzir certamente o seu tratamento, pois a cefaleia tem tratamento e não deve interferir em sua qualidade de vida.

FONTE: 

ACHKAR, Michelle. “Dores de cabeça: saiba os tipos, as causas e como combater”. Disponível em: < https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/doencas-e-tratamentos/dores-de-cabeca-saiba-os-tipos-as-causas-e-como-combater,18267fd8f280a310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html>. Acesso em: 02 de janeiro de 2018.

FELDMAN, Alexandre. “Cefaleia ou Dor de Cabeça Tensional”. Disponível em: < http://www.enxaqueca.com.br/blog/dor-de-cabeca-tensional/ >. Acesso em: 02 de janeiro de 2018.

FRANZONI, Michelle. “Tipos de dores de cabeça. Qual é a sua?”. Disponível em: < http://blogdamimis.com.br/2017/02/13/tipos-de-dores-de-cabeca-qual-e-a-sua/ >. Acesso em: 02 de janeiro de 2018.


Top da Semana

Oxímetro de Pulso

oxímetro de pulso é um dispositivo médico que mensura indiretamente a quantidade de oxigênio que o sangue está transportando. Trata-se de uma monitorização não invasiva da saturação de oxigênio do sangue arterial.
O nível de oxigênio mensurado com um oxímetro é chamado de nível de saturaçãode oxigênio (abreviado como O2sat ou SaO2). A SaO2 é a porcentagem de oxigênio que seu sangue está transportando, comparada com o máximo da sua capacidade de transporte. O padrão de normalidade varia entre 90 - 100% de SpO2.


O Oxímetro substitui a necessidade de Gasometria Arterial?
O oxímetro mensura indiretamente a quantidade de oxigênio que é transportada pelo sangue, e não é invasivo. Já a gasometria arterial é um procedimento invasivo e mensura diretamente tanto a quantidade de oxigênio transportada pelo sangue quanto a de gás carbônico (dióxido de carbono). 
Material necessário para instalação do Oxímetro: Equipamento: Oxímetro de pulso;Sensor adulto ou infantil (permanente ou descartável);Álcool…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Cuidados com a Gastrostomia

Gastrostomia e jejunostomia são procedimentos cirúrgicos para a fixação de uma sonda alimentar. Um orifício criado artificialmente na altura do estômago ou na altura do jejuno, objetivando uma comunicação entre a cavidade do estômago e a parede do abdômen.
O alimento pode ser administrado por uma bomba infusora ou através de seringa (alimentação em bolus). O preparo e "porcionamento" da dieta terá que seguir rigorosamente a orientação dada pelo nutricionista ou nutrólogo.
A higiene é fundamental para minimizar a contaminação da dieta e consequentes complicações gastrointestinais. Antes do preparo da dieta, é necessário realizar a lavagem adequada das mãos, dos alimentos e de todo material que será utilizado, bem como dos utensílios e da bancada onde haverá a manipulação. Depois da lavagem, recomendamos friccionar álcool a 70% na bancada e utensílios.

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…