Pular para o conteúdo principal

Conheça as Doenças mais comuns no Verão


O verão 2018 começa prometendo mais calor e exigindo cuidados específicos contra as doenças da época, a estação mais aguardada do ano, é uma época maravilhosa para desfrutar o ar livre, o calor e o excesso de umidade podem formar um ambiente propício à proliferação de bactérias, fungos e mosquitos. Por isso, é bom ficar atento e evitar a desidratação, a micose e outras doenças, por isso confira essas dicas do Programa de Saúde Preventiva:



A Intoxicação Alimentar - As temperaturas elevadas da estação são um dos principais fatores que ocasionam a intoxicação alimentar e hídrica, causadas, respectivamente, pelo consumo de comida e água contaminadas. Os sintomas podem ser diarreia, febre, náuseas e vômitos, que podem levar à desidratação.

A Insolação - A insolação e a desidratação também podem ser ocasionadas pela exposição excessiva ao sol e ao tempo quente. A indicação é beber ao menos dois litros de água por dia, sempre aplicar o protetor solar no mínimo 30 minutos antes de se expor ao calor e evitar as horas com maior concentração solar, usar chapéus, óculos de sol e roupas leves.

Brotoeja (Miliária ) - As crianças são as mais atingidas pela doença, a forma de evitar é usar roupas frescas, não agasalhar demais as crianças pequenas, principalmente os recém-nascidos, hábito comum entre as mães, tomar banhos mais frios e se proteger do calor, evitando o excesso de suor.

Herpes simples- Muita gente sofre nesta época com o herpes, causado por vírus que é reativado com a exposição intensa ao sol sem proteção ou quando a pessoa vive situações que baixam sua resistência imunológica, como cansaço físico e mental, estresse, febre. Os locais mais frequentes são os lábios e a região genital, mas o herpes pode aparecer em qualquer lugar da pele. A doença dura entre de 5 a 10 dias e deve-se tomar cuidado no contato com outras pessoas e objetos de uso comum nesse período para não transmitir o vírus, lave sempre bem as mãos após manipular as feridas pois a virose pode ser transmitida para outros locais de seu próprio corpo, especialmente as mucosas oculares, bucal e genital.

Micoses -  "micose de praia" ou "pano branco" Pitiríase versicolor” -  O fungo causador da doença habita a pele de todas as pessoas e, em algumas delas, é capaz de se desenvolver. A doença se manifesta formando manchas claras, acastanhadas ou avermelhadas e o sol apenas mostra onde está a micose, pois nos pontos afetados a pele não se bronzeia, sempre se seque bem após o banho, principalmente nas dobras, evite ficar com roupas molhadas por muito tempo, não use objetos pessoais (roupas, calçados, pentes, toalhas, bonés) de outras pessoas, evite andar descalço em pisos constantemente úmidos, não compartilhe seu material de manicure.

Dengue:  É uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A principal época de transmissão da dengue é o verão, basta manter hábitos domésticos simples para se evitar a proliferação deste mosquito, como limpar calhas e caixas d’água e recolher o lixo. Ao apresentar sintomas como febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores pelo corpo e náuseas, a pessoa deve procurar imediatamente orientação médica e não se automedicar.
Oferecemos estas informações para alertar as famílias sobre os possíveis perigos e riscos para a saúde, é hora de colocá-las em prática e curtir a estação!

Compartilhe com os amigos esse texto e garanta que eles tenham um verão tão saudável quanto você terá!



Contribuiu com este Artigo:



Ágda Hemkemaier Andres
Enfermeira, Graduada pela Universidade do Estado de Santa Catarina, com especialização em MBA – Gestão em Saúde e Controle de Infecção pela INESP - SP , Enfermagem do Trabalho pela UNINTER -SC , Gestão Hospitalar pela UNIASSELVI- SC, Docência em Ensino Superior e Segurança do Trabalho e Gestão de Produção pela Faculdade Venda Nova do Imigrante –MG.| Linkedin




Top da Semana

Oxímetro de Pulso

oxímetro de pulso é um dispositivo médico que mensura indiretamente a quantidade de oxigênio que o sangue está transportando. Trata-se de uma monitorização não invasiva da saturação de oxigênio do sangue arterial.
O nível de oxigênio mensurado com um oxímetro é chamado de nível de saturaçãode oxigênio (abreviado como O2sat ou SaO2). A SaO2 é a porcentagem de oxigênio que seu sangue está transportando, comparada com o máximo da sua capacidade de transporte. O padrão de normalidade varia entre 90 - 100% de SpO2.


O Oxímetro substitui a necessidade de Gasometria Arterial?
O oxímetro mensura indiretamente a quantidade de oxigênio que é transportada pelo sangue, e não é invasivo. Já a gasometria arterial é um procedimento invasivo e mensura diretamente tanto a quantidade de oxigênio transportada pelo sangue quanto a de gás carbônico (dióxido de carbono). 
Material necessário para instalação do Oxímetro: Equipamento: Oxímetro de pulso;Sensor adulto ou infantil (permanente ou descartável);Álcool…

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Cuidados com a Gastrostomia

Gastrostomia e jejunostomia são procedimentos cirúrgicos para a fixação de uma sonda alimentar. Um orifício criado artificialmente na altura do estômago ou na altura do jejuno, objetivando uma comunicação entre a cavidade do estômago e a parede do abdômen.
O alimento pode ser administrado por uma bomba infusora ou através de seringa (alimentação em bolus). O preparo e "porcionamento" da dieta terá que seguir rigorosamente a orientação dada pelo nutricionista ou nutrólogo.
A higiene é fundamental para minimizar a contaminação da dieta e consequentes complicações gastrointestinais. Antes do preparo da dieta, é necessário realizar a lavagem adequada das mãos, dos alimentos e de todo material que será utilizado, bem como dos utensílios e da bancada onde haverá a manipulação. Depois da lavagem, recomendamos friccionar álcool a 70% na bancada e utensílios.

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…