<data:blog.pageTitle/> <data:blog.pageName/> | Enfermagem a Profissão do Cuidar

Manejo ao Paciente Queimado

As  QUEIMADURAS   representam as principais causas externas de morte registradas no Brasil. Os afogamentos e as queimaduras representam c...


As QUEIMADURAS representam as principais causas externas de morte registradas no Brasil. Os afogamentos e as queimaduras representam como a primeira causa de morte entre as crianças. (MASCARENHAS et al., 2011).

Atualmente no Brasil, dois terços dos acidentes por queimaduras são protagonizados por crianças, sendo que tendem a conviver com as sequelas, sejam elas estéticas ou funcionais. LEONARDI; NAZARIO (2012) ressaltam que 80,7% dos casos de queimadura na infância tinham um dos pais presentes no momento do acidente, mas não estavam em alerta.

O quadro a seguir mostra as prevalências de mortes por queimaduras no Brasil, no ano de 2011.




Segundo Brunner e Suddarth (2015), a lesão é causada pela transferência de calor de uma fonte térmica para o corpo, por exposição a determinadas substâncias químicas ou por exposição à radiação. No entanto, os tecidos corporais são danificados, acarretando a morte celular.

A gravidade de uma queimadura não se mede pelo grau de lesão, mas pelo comprometimento de área atingida. As queimaduras podem ser classificadas quanto ao agente causador e quanto à profundidade das lesões (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, 2008b).

Quanto ao agente causador podem ser: química, térmica, elétrica, ionizante e radiação, biológica e por atrito e fricção.

Quanto ao grau das lesões: 1º, 2º e 3º graus, sendo que algumas literaturas trazem 4º grau.

Observação: a complexidade de uma queimadura é avaliada pela associação entre agente causador, tipo de queimadura e extensão da área queimada, assim como o acometimento de algumas áreas corpo¬rais específicas: pequeno, médio e grande queimado (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, 2008b, UFSC, 2014).

ATENDIMENTO DO PACIENTE QUEIMADO
O atendimento, no suporte básico de vida, requer proteção e manutenção da permeabilidade de vias aéreas, assistência ventilatória e cardiovascular, além do atendimento às lesões associadas, como, por exemplo, queimaduras ou traumas, comuns em vítimas intoxicadas em incêndios. 

O atendimento, em tempo OPORTUNO, pode diminuir possíveis complicações e a morbidade e mortalidade. 

Identificar as condições que colocam a vida em risco é de grande valia para o prognóstico e sobrevida do paciente; e seguir com a identificação do tipo de queimadura, extensão e profundidade e também iniciar o tratamento da queimadura, evitando a progressão da lesão e contaminação da mesma.

Observação: É necessário averiguar e identificar se a substância que provocou a queimadura, não está sobre a pessoa, se confirmado, deve se proteger e iniciar a interrupção do processo de queimadura (UFSC, 2014).

CUIDADOS
Resfriamento da área queimada
Deve ser realizada até 15 minutos após o acidente, se não for usado esse critério, não será uma medida útil. O resfriamento é realizado por meio de compressas embebidas em soro fisiológico a 0.9% (SF 0,9%) ou água a temperatura ambiente.

Avaliação primária 
O processo de avaliação é baseado nos princípios do “Advanced Trauma Life Support” (ATLS) que estabelece como norma de conduta a metodologia mnemônica do ABCDE. 

SITUAÇÃO VERMELHA – ATENDIMENTO IMEDIATO 
A) “Airway”: preservação da via aérea com controle da coluna cervical 
B) “Breathing”: boa ventilação 
C) “Circulation”: boa perfusão 
D) “Disability”: exame neurológico 
E) “Exposition”: exposição do paciente (com controle ambiental)

Avaliação Secundária
Destina-se a aprofundar na anamnese e no exame físico do paciente, fornecendo apoio e norteando para a reclassificação e o tratamento adequado com às situações encontradas.

Reposição volêmica 
Será necessário um acesso venoso permeável e seguro, para aqueles que necessitarem de reposição volêmica. O líquido da infusão de escolha é o Ringer Lactato.

Analgesia e sedação
É recomendado anti-inflamatórios não hormonais para os pequenos queimados, já  para os pacientes médios e grandes queimados e pela intensidade da dor, deve ser considerada a aplicação de opioide. 

Conforme Brunner e Suddart (2015), as medidas relacionadas com o manejo de queimaduras consistem em prevenção, avaliação da gravidade da queimadura, instituição de medidas para salvar a vida do indivíduo gravemente queimado, prevenção de incapacidade e desfiguração e reabilitação.

Intervenções de Enfermagem:

TROCA GASOSA
  • Fornecer oxigênio umidificado e monitorar gasometria arterial (GA), oximetria de pulso e níveis de carboxiemoglobina.
  • Relatar imediatamente ao médico as respirações laboriosas, a profundidade diminuída das respirações ou sinais de hipoxia; preparar para ajudar na intubação.
FUNÇÃO HEMODINÂMICA
  • Instituir o monitoramento eletrocardiográfico com base nos resultados da avaliação inicial.
  • Avaliar, com frequência, os pulsos periféricos distalmente à queimadura.
EQUILÍBRIO HIDRELETROLÍTICO
  • Monitorar os sinais vitais e o débito urinário (a cada hora), PVC, pressão da artéria pulmonar e débito cardíaco. Observar e registrar sinais de hipovolemia ou sobrecarga hídrica
  • Manter os acessos IV e líquidos regulares nas velocidades adequadas, conforme prescrição. Documentar o equilíbrio hídrico e pesar diariamente o cliente (se possível.
  • Elevar Cabeceira do leito.
MANUTENÇÃO DA TEMPERATURA CORPORAL NORMAL
  • Fornecer ambiente aquecido: uso de escudo térmico, cobertor suspenso, lâmpadas de aquecimento ou cobertores
  • Medir com frequência a temperatura corporal central
  • PREVENÇÃO DA INFECÇÃO
  • Colocar lençóis limpos embaixo e em cima do cliente para proteger a ferida de contaminação, manter a temperatura corporal e reduzir a dor do tecido queimado causada por correntes de ar.
MINIMIZAÇÃO DA DOR E DA ANSIEDADE
  • Usar escala de intensidade da dor para avaliar o nível de dor (e., de 1 a 10); diferenciar a inquietação causada pela dor da inquietação provocada por hipóxia
  • Administrar analgésicos opioides IV, conforme prescrição, e avaliar a resposta ao medicamento; observar a ocorrência de depressão respiratória em clientes que não estão sob ventilação mecânica.
MONITORAMENTO E MANEJO DAS COMPLICAÇÕES POTENCIAIS
Insuficiência Respiratória, choque distributivo, insuficiência renal aguda, síndrome compartimental, íleo paralítico, úlcera de curling.

“Devido a extensão do conteúdo, indico a leitura do Brunner & Suddarth, Manual de enfermagem médico-cirúrgica, 2015, pg. 971 & do material sobre queimaduras da Universidade Federal de Santa Catarina em www.unasus.ufsc.br.

Contribuiu com este Artigo:






Mateus Henrique Dias Guimarães




REFERÊNCIAS

BRASIL, M. S. Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM. Datasus: W00-X59 Outras causas externas de lesões acidentais. Disponível em: < http://www.abraspea.org.br/pdf_docs/anexos%20alcool%20estatisticas%20do%20datasus.pdf>. 

Brunner & Suddarth, Manual de enfermagem médico-cirúrgica / revisão técnica Sonia Regina de Souza; tradução Patricia Lydie Voeux. – 13. ed. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015. Queimaduras, p.971.
LEONARDI, D. F.; NAZÁRIO, N. O. Queimaduras especiais: elétricas e químicas. In:________. Quei¬maduras: Atendimento Pré-Hospitalar. Palhoça: Unisul. 2012.

MASCARENHAS, M.D.M. et al. Epidemiologia das causa externa no Brasil: mortalidade por aciden¬tes e violência no período de 2000 a 2009. In: Brasil. Ministério da Saúde. Saúde Brasil 2010: uma análise da situação de saúde e de evidências selecionadas de impacto de ações de vigilância em saúde Secretaria de Vigilância e Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2011.

Queimaduras / Universidade Federal de Santa Catarina; Organizadores: Nazaré Otília Nazário; Dilmar Francisco Leonardi e Cesar Augusto Soares Nitschke — Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2014.29 p. Modo de acesso: www.unasus.ufsc.br








COMENTÁRIOS

Nome

Auditoria,8,Centro Cirúrgico,21,Dicas de Saúde,13,Doenças,34,Medicamentos,25,Publieditorial,5,Relacionados à Enfermagem,105,Relacionados à Saúde,120,Técnicas de Enfermagem,37,
ltr
item
Enfermagem: Manejo ao Paciente Queimado
Manejo ao Paciente Queimado
https://4.bp.blogspot.com/-Dj9TdGMCZuA/WsQBxb6wcVI/AAAAAAAAF48/FbHYgOM9VDkiutpy1vlXnVwcn1dyhTquQCLcBGAs/s1600/queimaduras.JPG
https://4.bp.blogspot.com/-Dj9TdGMCZuA/WsQBxb6wcVI/AAAAAAAAF48/FbHYgOM9VDkiutpy1vlXnVwcn1dyhTquQCLcBGAs/s72-c/queimaduras.JPG
Enfermagem
https://www.enfermagemnovidade.com.br/2018/04/manejo-ao-paciente-queimado.html
https://www.enfermagemnovidade.com.br/
https://www.enfermagemnovidade.com.br/
https://www.enfermagemnovidade.com.br/2018/04/manejo-ao-paciente-queimado.html
true
7506902372674157562
UTF-8
Carregar todas as postagens Nenhum post encontrado VER TUDO Continuar lendo Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTAGENS VER TUDO RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODAS AS POSTAGENS Nenhuma postagem encontrada Página Inicial Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Oot Nov Dez Aagora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir CONTEÚDO PREMIUM BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe nas redes sociais PASSO 2: Click no link da sua rede social Copiar todo o código Selecionar todo o código Copiado para área de transferência Não pode copiar códigos / textos, pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C no Mac) para copiar