Pular para o conteúdo principal

Torcicolo: Remédios, sintomas, tratamento e prevenção


O torcicolo é uma tensão involuntária dos músculos do pescoço provocado por má postura ao dormir ou pela utilização do computador, causando dor no lado do pescoço e dificuldade para mexer a cabeça. Ansiedade e estresse também podem causar tensão nos músculos e levar a um torcicolo. É mais comum ocorrer em pessoas de meia idade e em mulheres.

Causas
A causa mais comum é a tensão muscular que pode ocorrer de diversas maneiras, como, por exemplo, quando você tem problemas com má postura ou fica demasiadamente sentado sem mudar de posição. Ocorre também quando se pratica exercícios, dorme em uma posição ruim ou força demais o pescoço em alguma tarefa.

Outra causa muito comum são os problemas ligados à coluna cervical. Hérnia de disco, escoliose e lordose podem refletir no pescoço e outras partes do corpo. Normalmente, são acompanhadas de uma sensação de formigamento.

Algumas infecções, como meningite e sinusite, também podem ser a causa da dor, pois devido ao esforço que seu corpo faz para se livrar da infecção, pode acabar tensionando sua musculatura. Tumores, abscessos e câncer também podem pressionar a musculatura do pescoço, causando a dor do torcicolo, porém isso é mais raro de acontecer.


Doenças como artrite, osteoporose e fibromialgia podem ser a causa de um torcicolo, por causarem um enfraquecimento dos ossos e da musculatura, que dão sustentação ao pescoço.

+ Corrupção na Saúde: Como ser Enfermeiro Auditor em OPME na era das Máfias das Órteses e Próteses?


Tipos de torcicolo (conheça os mais comuns):

Torcicolo espasmódico
É o tipo mais comum e trata-se da rigidez do pescoço devido a tensão dos músculos cervicais, podendo ser causada por tensão emocional, sobrecarga física, trauma por deslocamento súbito e permanência na mesma posição por períodos prolongados.

Torcicolo congênito
Causado pelo encurtamento do músculo esternocleidomastóideo, que é o músculo responsável pela inclinação e roteamento da cabeça e está localizado na face lateral do pescoço. Esse tipo de torcicolo provoca a inclinação lateral para um lado e a rotação no sentido oposto.

Torcicolo Dermatogênico
Limitação de movimentos do pescoço produzida por uma lesão extensa da pele da região. Acontece principalmente nas retrações de cicatrização de queimaduras.

Torcicolo vestibular
É a rotação da cabeça como compensação de desequilíbrio do corpo por disfunção do labirinto, órgão do equilíbrio localizado no ouvido interno.

Torcicolo ocular
Surge devido a paralisia de músculos extra-oculares, como o oblíquo, frequentemente associado a rotação e inclinação da cabeça.

Torcicolo reumático
Também é conhecido pelo nome de Torcicolo sintomático, é causado por doenças reumatológicas que acabam afetando o músculo do pescoço.

Torcicolo Espúrio
Causado por fraturas ou degenerações nas vértebras cervicais.

Sintomas do Torcicolo
O principal sintoma do torcicolo é a dor no pescoço juntamente com a limitação de movimento da cabeça. Entretanto, alguns outros sintomas podem aparecer, como por exemplo:
- Dor de cabeça;
- Tremor no pescoço;
- Inchaço dos músculos do pescoço;
- Ombro mais alto de um lado do corpo;
- Dor sensível ao toque.

Diagnóstico
O primeiro passo do diagnóstico é contar ao médico todas as circunstâncias que podem ter levado à dor, como por exemplo: traumas, exercícios físicos e má postura.  Logo após isso, ele poderá solicitar pequenos exames físicos e prescrever o método correto para o caso de torcicolo, juntamente com medicamentos que o paciente poderá utilizar.

Se houver qualquer indício de trauma, o médico poderá tirar um raio X da região para eliminar possíveis ocorrências de fraturas e luxações dos ossos da coluna vertebral localizados no pescoço.

Tratamento para Torcicolo
Em grande parte dos casos, o torcicolo é uma dor aguda e que passa sem tratamento em poucos dias. São raros os casos de torcicolo crônico. Porém, mesmo diante desse quadro, as dicas a seguir podem ajudar a aliviar a dor ou, até mesmo, a se livrar dela.



Fisioterapia
É uma opção viável não invasiva e de baixo custo. O fisioterapeuta pode te dar essas recomendações:

- Esticar o músculo em uma posição prona (corpo deitado, com a face pra frente), tanto ativamente quanto passivamente.
- Esticar o músculo em uma posição lateral, apoiado por um travesseiro. O lado afetado deve estar contra o travesseiro para desviar o pescoço em direção ao lado não afetado.
- Usar colar cervical para controlar a postura da criança nos carrinhos de bebês, assentos de carros e balanços.

Terapia de microcorrentes
Esse tipo de terapia é especialmente para torcicolos congênitos e, para que essa seja eficaz, é necessário que as crianças tenham pelo menos três meses de vida e ter um torcicolo envolvendo todo o músculo esternocleidomastóideo com massa palpável e espessura superior a 10mm. A terapia de microcorrentes funciona enviando sinais elétricos por minuto na região do pescoço para restaurar as frequências normais das células e melhorar, assim, o fluxo sanguíneo, além de reduzir espasmos musculares e diminuir a dor juntamente com a inflamação.

+ Nova Diretriz para Hipertensão Arterial 130/80 mmHg


Repouso e apoio de pescoço
Para aliviar a dor deve-se relaxar os músculos, que pode ocorrer através de colares cervicais macios disponibilizados em lojas de produtos ortopédicos.  
É necessário descansar o pescoço até que a dor passe, por isso, evite qualquer atividade que possa endurecer os músculos do pescoço ainda mais.

Temperatura (Quente / Fria)
Em caso de lesão, a aplicação de gelo coberto por uma toalha pode ajudar a reduzir a inflamação e facilitar a cicatrização. Caso a dor tenha sido causada por uma contração muscular, é necessário aquecer a região para acelerar o processo de cura do corpo.

Massagem e alongamento
Massagens leves podem ajudar a relaxar os músculos que estão contraídos e diminuir a rigidez, porém isso deve ser feito com bastante cuidado para não acabar piorando a dor.

+ Elimine o corrimento vaginal usando essa técnica caseira


Tratamento com ervas
Alguns medicamentos naturais que contém ingredientes como hortelã, tomilho, calêndula ou milefólio podem ajudar na hora de relaxar os músculos. Pomadas com arnica também podem ser benéficas.
Para preparar óleos de massagem, aqueça em uma colher algumas gotas de óleos que são utilizados em aromaterapia, como, por exemplo, óleo de limão taiti ou siciliano,  juntamente com um óleo como o de azeitona, abacate ou sementes de uva. Quando o óleo estiver pronto, aplique nos músculos rígidos.

Medicamentos
Muitas vezes a dor de torcicolo pode ser incômoda e não passar rapidamente, por isso o uso de remédios que podem aliviar a dor rapidamente. Segue alguns mais usados:
- Fenaflan;
- Flanax;
- Miosan;
- Mirtax;
- Musculare;
- Betatrinta;
- Cataflampro;
- Cetofenid (solução);
- Ciclobenzaprina;
- Coltrax;
- Diprospan;
- Duoflam;
- Torsilax.

** Sempre consulte um médico antes de tomar qualquer medicamento, e não se automedique.

Comentários

Top da Semana

Nervo Ciático inflamado: Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

O nervo ciático (ou isquiático) é o mais longo e espesso do corpo humano. Ele se origina no plexo lombo sacro, ou seja, na região lombar e é formado por diversas ramificações que se ligam às ultimas vértebras e à base da coluna vertebral e atravessam o quadril, os glúteos, a coxa, o joelho e o tornozelo.
Quando chega na metade do fêmur, o maior osso da coxa, o ciático se divide em fibular e tibial, que são ramificações que seguem pela perna.
A dor ciática caracteriza-se como uma dor persistente, semelhante a pequenos choques elétricos, sentida ao longo do trajeto do nervo ciático (coluna lombar, região posterior da coxa, pernas e pés). Pode vir acompanhada de formigamento, dormência ou fraqueza muscular no membro afetado e piora com o movimento. Nos casos mais graves, pode haver dificuldade para caminhar.

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…

Acesso venoso periférico: Técnica, Estabilização e tipo de Curativo

A punção venosa periférica é certamente o procedimento mais realizado nos atendimentos de emergências, além de ser o procedimento invasivo mais comum realizado pela enfermagem. Pelo menos 90% dos pacientes hospitalizados necessitam, em algum momento de um acesso venoso para realização de terapia intravenosa.
É a via de administração de medicação diretamente nas veias, nela é possível fazer medicação em grande quantidade e aquelas que pela via oral não são possíveis de administrar. São dois tipos: acesso venoso periférico, que é a inserção de um cateter nos membros (braço, mão, perna, etc.) e acesso venoso central, este é utilizado em pacientes que necessitam de grandes quantidades de medicamento e soro - é uma via calibrosa para infusão de algumas medicações específicas, como quimioterapia, dieta parenteral.

Acesso venoso periférico (membros):
O acesso venoso periférico pode ser puncionado por enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos. As vias de acesso preferenciais são as veias dos…