Pular para o conteúdo principal

O que é Moleira? Quando ela fecha e quais são os cuidados?


O bebê nasce com várias fontanelas, mais conhecidas como “moleiras”. Elas fornecem ao crânio a flexibilidade necessária para atravessar o canal do parto. Essa flexibilidade também permite que o cérebro e o crânio do bebê cresçam durante o primeiro ano de vida. Nos recém-nascidos, os pontos moles são encontrados no topo, nas costas e nos lados da cabeça.

As moleiras desaparecem em idades específicas, a fontanela na parte de trás da cabeça geralmente desaparece em 1 a 2 meses de idade. As que estão no alto da cabeça permanecem presentes até o bebê ter entre 7 e 19 meses de idade.


Entenda o que cada alteração na moleira pode indicar:

Moleira pulsando com mais pressão: ocorre quando a criança realiza um esforço como cólicas, tosse, febre ou choro.

Moleira baixa ou funda: a moleira afundada indica que o crescimento do crânio está abaixo do esperado, podendo indicar desidratação ou mesmo doenças possíveis de serem identificadas pelo médico pediatra.

Moleira alta: pode indicar um aumento de pressão craniana no bebê e pode indicar um quadro de infecção. Se a moleira estiver alta, é preciso que ele seja levado para o hospital.

Causas potenciais de fontanela afundada:

Desidratação: A causa mais comum de perda de água do corpo é a transpiração excessiva. Essa condição é considerada uma emergência médica. Cuidado urgente pode ser necessário.

Kwashiorkor: É uma forma grave de desnutrição causada pela falta de proteína. 
Megacólon tóxico: É um alargamento raro e potencialmente letal do intestino grosso e geralmente é uma complicação da doença inflamatória intestinal (DII). Essa condição é considerada uma emergência médica. 

Diabetes insipidus: Diabetes insipidus (DI) não é uma forma de diabetes, em vez disso, é uma condição rara que ocorre quando os rins não conseguem economizar água. 

Diagnóstico:

Se o bebê tiver uma fontanela afundada, procure atendimento médico o mais rápido possível. Quando o médico examinar o bebê, eles farão primeiro um exame físico. Isso inclui olhar e sentir a área afetada. O médico provavelmente avaliará a elasticidade da pele do seu bebê, ou turgor. A baixa elasticidade também pode ser um sinal de baixos níveis de fluidos. A quantidade de umidade nos olhos e na boca também pode fornecer pistas sobre o nível de hidratação do bebê.

O médico também irá perguntar sobre os sintomas do seu bebê. É importante fornecer o máximo de informação possível. Se o bebê esteve doente recentemente ou se o bebê teve  episódios de vômito ou diarréia.

Poderá ser realizado exames de sangue e urina. O exame de sangue mede o número de glóbulos vermelhos e brancos, bem como seus componentes, para detectar infecção ou anemia, que pode ocorrer com a desidratação. Um exame de urina envolve uma série de testes para verificar a urina quanto a anormalidades que possam indicar desidratação.

Outro teste que que também pode ser feito é de um painel metabólico abrangente. Esta análise de sangue envolve uma série de testes que avaliam o quão bem vários produtos químicos no corpo estão quebrando e usando alimentos.

Quando a Moleira Fecha?

Os ossos do crânio não se fecham completamente durante a infância porque o cérebro e o corpo ainda precisam de espaço para crescer. No entanto, quando os ossos crescem ao ponto de preencher o espaço aberto e os médicos não podem mais senti-los, as fontanelas são consideradas fechadas. As fontanelas nem todas fecham ao mesmo tempo. O processo de fechamento da moleira pode demorar dois anos ou mais. 

As seis fontanelas fecham nesta ordem:

Posterior: entre seis semanas e três meses
Esfenoide: por seis meses
Mastoide: entre seis e 18 meses
Anterior: Começa a fechar aos seis meses e já não pode ser sentida entre os 18 meses e os dois anos.

Opções de Tratamento Para Moleira

Se a desnutrição for a causa, o bebê provavelmente receberá nutrientes orais ou IV, bem como fluidos. Se a desidratação for a causa confirmada de uma moleira ou fontanela afundado, o bebê receberá fluidos por via oral se não estiver vomitando e estiver alerta ou por meio de uma linha intravenosa (IV). 

O médico irá verificar as fontanelas do bebê no nascimento, e o monitoramento continuará sempre que o pediatra ou uma enfermeira examinar seu filho.

Como Evitar Moleira?

A melhor maneira de evitar uma fontanela afundada é evitar a causa mais comum dela, que é a desidratação.







Comentários

Top da Semana

Nervo Ciático inflamado: Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

O nervo ciático (ou isquiático) é o mais longo e espesso do corpo humano. Ele se origina no plexo lombo sacro, ou seja, na região lombar e é formado por diversas ramificações que se ligam às ultimas vértebras e à base da coluna vertebral e atravessam o quadril, os glúteos, a coxa, o joelho e o tornozelo.
Quando chega na metade do fêmur, o maior osso da coxa, o ciático se divide em fibular e tibial, que são ramificações que seguem pela perna.
A dor ciática caracteriza-se como uma dor persistente, semelhante a pequenos choques elétricos, sentida ao longo do trajeto do nervo ciático (coluna lombar, região posterior da coxa, pernas e pés). Pode vir acompanhada de formigamento, dormência ou fraqueza muscular no membro afetado e piora com o movimento. Nos casos mais graves, pode haver dificuldade para caminhar.

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…

Acesso venoso periférico: Técnica, Estabilização e tipo de Curativo

A punção venosa periférica é certamente o procedimento mais realizado nos atendimentos de emergências, além de ser o procedimento invasivo mais comum realizado pela enfermagem. Pelo menos 90% dos pacientes hospitalizados necessitam, em algum momento de um acesso venoso para realização de terapia intravenosa.
É a via de administração de medicação diretamente nas veias, nela é possível fazer medicação em grande quantidade e aquelas que pela via oral não são possíveis de administrar. São dois tipos: acesso venoso periférico, que é a inserção de um cateter nos membros (braço, mão, perna, etc.) e acesso venoso central, este é utilizado em pacientes que necessitam de grandes quantidades de medicamento e soro - é uma via calibrosa para infusão de algumas medicações específicas, como quimioterapia, dieta parenteral.

Acesso venoso periférico (membros):
O acesso venoso periférico pode ser puncionado por enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos. As vias de acesso preferenciais são as veias dos…