<data:blog.pageTitle/> <data:blog.pageName/> | Enfermagem a Profissão do Cuidar

Abordagens do enfermeiro no cuidado ao paciente com Tuberculose

A tuberculose (TB), é uma doença infecciosa que afeta principalmente o parênquima pulmonar, e geralmente é causada pela Mycobacterium...


A tuberculose (TB), é uma doença infecciosa que afeta principalmente o parênquima pulmonar, e geralmente é causada pela Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK). É um sério problema de saúde pública no mundo, a qual é transmitida por via aérea, localiza-se no pulmão e pode se disseminar para outras partes do corpo como meninges, rins, ossos e linfonodos.

A incidência é mais elevada em países emergentes, especialmente em aglomerados populacionais, precárias condições socioeconômicas e sanitárias, pessoas do sexo masculino, sendo a segunda maior morbidade infectocontagiosa no mundo. São notificados anualmente 10 milhões de novos casos no mundo, acarretando mais de 1 milhão de óbitos segundo o Ministério da Saúde.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) redefiniu a classificação dos principais países no período de 2016 a 2020 para o controle da TB, o Brasil encontra-se na 20ª posição. Em nosso país são notificados anualmente, em média, 70 mil novos casos e 4,5 mil mortes em virtude da doença. No entanto, trata-se de uma doença curável, cujo tratamento é disponibilizado de maneira gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre os programas governamentais está o Programa Nacional de Controle da Tuberculose – PNCT


Doença pulmonar: 

As manifestações clássicas são tosse persistente superior a 15 dias, febre vespertina, sudorese noturna e perda ponderal. A forma primária é mais comum em crianças, sendo frequentemente insidiosa. A reativação pode ocorrer em qualquer idade, mas a incidência é maior em adolescentes e adultos jovens. Clientes idosos podem apresentar manifestações atípicas, como comportamental ou transtorno do estado mental, febre, anorexia e perda de peso. Em geral, os clientes idosos exibem sintomas menos pronunciados do que os clientes mais jovens.

Sintomas:

Dores locais: peito
Dores circunstanciais: ao respirar
Tosse: com sangue ou crônica
No corpo: fadiga, febre, perda de apetite, suor noturno ou suor
No peso: perda de peso ou perda de peso não intencional severa
Também é comum: catarro ou inchaço dos gânglios

Fatores de risco mais comuns:
  • Contato íntimo com pessoas que apresentem TB ativa;
  • Estado imunocomprometido (indivíduos idosos, câncer, terapia com corticosteroides e HIV);
  • Uso de drogas injetáveis e alcoolismo;
  • Cuidado de saúde inadequado (moradores de rua ou extremamente pobres, minorias, crianças e adultos jovens);
  • Condições clínicas preexistentes, incluindo diabetes mellitus, insuficiência renal crônica, silicose e desnutrição;
  • Imigração de países com alta prevalência de TB (Haiti, Sudeste Asiático);
  • Institucionalização (instituições de cuidados prolongados, prisões);
  • Condições de vida (em residência abaixo dos padrões e em condições aglomeradas);

Exames:
  • Exame físico (À ausculta pode haver redução do murmúrio vesicular com redução do frêmito toracovocal quando há derrame pleural e/ou pectoriloquia quando há consolidação parenquimatosa pulmonar);
  • Teste cutâneo para TB (teste de Mantoux); teste QuantiFERON-TB Gold (QFT- G), teste QuantiFERON-TB Gold in-tube (QFT-GIT), teste para TB T-SPOT (T-Spot) e teste Xpert MTB/RIF;
  • Radiografia de tórax;
  • Esfregaço de escarro para bacilo álcool-acidorresistente (BAAR), seguido de cultura se o esfregaço for positivo;
  • Outras avaliações, incluindo história completa e exame físico e suscetibilidade a medicamentos, se os resultados forem positivos.

Terapia Farmacológica:

As diretrizes recomendadas de tratamento para casos recém-diagnosticados de TB pulmonar têm duas fases: uma fase de tratamento inicial (medicamentos administrados diariamente durante 8 semanas) e uma fase de continuação (um período adicional de 4 a 7 meses).

O tratamento da fase inicial consiste em um esquema diário de múltiplos medicamentos com agentes de primeira linha e vitamina B6. A fase de continuação do tratamento inclui isoniazida (INH) e rifampicina ou INH e rifapentina.

Os medicamentos de primeira linha incluem INH, rifampicina, pirazinamida (PZA) e etambutol, diariamente, durante 8 semanas e com continuação por um período de 4 a 7 meses. Dispõe-se de combinações como INH e rifampicina, ou INH, PZA e rifampicina, e medicamentos administrados 2 vezes/semana (p. ex., rifapentina) para ajudar a melhorar a adesão do cliente ao tratamento; entretanto, essas combinações têm custo elevado. Os medicamentos de segunda linha incluem capreomicina, etionamida e ciclosserina. A INH também é usada como medida profilática para indivíduos que correm risco de TB.

Atribuições do enfermeiro no programa de tuberculose
  • Identificar os sintomáticos respiratórios na comunidade quer seja dentro da unidade de saúde, visita domiciliar, atendimento da demanda encaminhada pelo ACS;
  • Solicitar o exame de Baciloscopia (duas amostras) por meio do preenchimento do pedido de exame;
  • Explicar ao paciente todo o procedimento de coleta em casa;
  • Encaminhar as amostras ao laboratório;
  • Aplicar a vacina BCG, após treinamento específico para tal;
  • Realizar a consulta de enfermagem;
  • Investigar contatos e comunicantes do doente de tuberculose;
  • Dispensar os medicamentos para o doente em tratamento, explicando seu uso correto;
  • Notificar por meio da Ficha de Investigação os casos positivos;
  • Fazer a programação e o pedido de medicamentos antituberculose de acordo com a quantidade de tratamentos mensalmente para suprir a farmácia;
  • Solicitar o exame de escarro a cada dois meses para os pacientes que iniciaram o tratamento acompanharem a evolução do quadro;
  • Identificar os pacientes que estejam com reações adversas aos medicamentos e encaminhá-los à consulta médica;
  • Encaminhar o doente para o serviço de referência quando necessário;
  • Realizar a transferência do paciente que se mudou e irá dar continuidade ao tratamento em outra unidade;
  • Capacitar os ACS e equipe de enfermagem sobre o tema;
  • Realizar atividades educativas no espaço da unidade de saúde e na comunidade;
  • Realizar visita domiciliar ao paciente em tratamento;
  • Realizar a busca dos faltosos;
  • Preencher todos os registros da unidade: livro de registro de pacientes em tratamento, livro de registro de pesquisa em sintomático respiratório;
  • Realizar o planejamento, monitoramento e avaliação das atividades que envolvem a tuberculose na unidade de saúde.

Diagnósticos de Enfermagem
  • Nutrição Desequilibrada: menor do que as necessidades corporais;
  • Déficit de conhecimento;
  • Conhecimento deficiente sobre o regime terapêutico;
  • Dor aguda;
  • Ansiedade;
  • Intolerância a atividade a ser realizada pelo paciente;
  • Padrão respiratório comprometido;
  • Troca de gases prejudicada;
  • Hipertermia;
  • Mobilidade física prejudicada (dor);
  • Fadiga;
  • Controle de medicamentos;
  • Risco de Infecção.
  • Intervenções de Enfermagem:
  • Monitoração nutricional;
  • Controle nutricional;
  • Ensino: dieta prescrita;
  • Melhora da Educação em Saúde;
  • Ensino: indivíduo;
  • Ensino: processo da doença;
  • Educação em saúde;
  • Controle da dor;
  • Administração de medicamentos;
  • Redução da Ansiedade;
  • Apoio Emocional;
  • Toque terapêutico;
  • Monitorização dos sinais vitais;
  • Oxigenoterapia;
  • Assistência Ventilatória;
  • Cuidados com o repouso no leito;
  • Controle de medicamentos;
  • Tratamento da febre;
  • Controle do ambiente;
  • Resultados Esperados:
  • Conhecimento: comportamento da saúde;
  • Promoção da saúde;
  • Cuidados na doença;
  • Melhora do padrão respiratório
  • Controle da dor;
  • Nível de desconforto;
  • Tolerância a atividade;
  • Nível de Fadiga;
  • Conservação de energia;
  • Repouso;
  • Resposta à ventilação mecânica;
  • Estado respiratório: permeabilidade das vias aéreas;
  • Controle de riscos comunitários: doenças contagiosas.
  • Monitoramento da resposta ao tratamento:
  • BAAR de escarro mensal: se BAAR positivo no final do segundo mês de tratamento ou se voltar a positivar após negativação, solicitar cultura para teste de sensibilidade.
  • Avaliação clínico-laboratorial mensal, focando evolução da doença e possíveis efeitos colaterais.

Fontes consultadas:

Programa Nacional de Controle da Tuberculose, 2016. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/fevereiro/21/Apresentacao-sobre-os-principais-indicadores-da-tuberculose.pdf

Ministério da Saúde - Tuberculose na Atenção Primária à Saúde. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/livro_tuberculose11.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil /Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

Enfermeiro Aprendiz http://www.enfermeiroaprendiz.com.br/o-papel-da-enfermagem-frente-ao-paciente-com-tuberculose-pulmonar-na-atencao-basica/

RIBEIRO, Luzimar Costa; SILVA, Silvana Ferreira da. Assistência de enfermagem ao paciente portador de tuberculose pulmonar . 2013. 19 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso de Bacharelado em Enfermagem)- Faculdades Integradas Promove de Brasília, Brasília, 2013. Disponível em: <http://nippromove.hospedagemdesites.ws/anais_simposio/arquivos_up/documentos/artigos/3b430caef6052f889cea5795ee6a9527.pdf>. Acesso em: 03 dez. 2017.
SMELTZER et al. Brunner & Suddarth, Manual de enfermagem médico-cirúrgica / revisão técnica Sonia.Regina de Souza; tradução Patricia Lydie Voeux. – 13. ed. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.

COMENTÁRIOS

Nome

Auditoria,8,Centro Cirúrgico,22,Dicas de Saúde,13,Doenças,36,Medicamentos,26,Publieditorial,5,Relacionados à Enfermagem,115,Relacionados à Saúde,121,Técnicas de Enfermagem,37,
ltr
item
Enfermagem: Abordagens do enfermeiro no cuidado ao paciente com Tuberculose
Abordagens do enfermeiro no cuidado ao paciente com Tuberculose
https://4.bp.blogspot.com/-TBBTzGQyWow/XL-gVFcHzcI/AAAAAAAAG-I/P7mQiBCumEsZti4HxI7Df5pDAD0V4yNkQCLcBGAs/s640/tuberculose.jpg
https://4.bp.blogspot.com/-TBBTzGQyWow/XL-gVFcHzcI/AAAAAAAAG-I/P7mQiBCumEsZti4HxI7Df5pDAD0V4yNkQCLcBGAs/s72-c/tuberculose.jpg
Enfermagem
https://www.enfermagemnovidade.com.br/2019/04/abordagens-do-enfermeiro-no-cuidado-ao.html
https://www.enfermagemnovidade.com.br/
https://www.enfermagemnovidade.com.br/
https://www.enfermagemnovidade.com.br/2019/04/abordagens-do-enfermeiro-no-cuidado-ao.html
true
7506902372674157562
UTF-8
Carregar todas as postagens Nenhum post encontrado VER TUDO Continuar lendo Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTAGENS VER TUDO RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODAS AS POSTAGENS Nenhuma postagem encontrada Página Inicial Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Oot Nov Dez Aagora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir CONTEÚDO PREMIUM BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe nas redes sociais PASSO 2: Click no link da sua rede social Copiar todo o código Selecionar todo o código Copiado para área de transferência Não pode copiar códigos / textos, pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C no Mac) para copiar