Pular para o conteúdo principal

Drogas vasoativas e os cuidados de enfermagem


O termo droga vasoativa é atribuído às substâncias que apresentam efeitos vasculares periféricos, pulmonares ou cardíacos, sejam eles diretos ou indiretos agindo através de receptores situados no endotélio vascular.

Comumente empregadas nos pacientes graves, às drogas vasoativas são de uso “corriqueiro” nas UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e o conhecimento exato da sua farmacocinética e farmacodinâmica é de vital importância para o Médico Assistente (intensivista), pois daí decorre o sucesso ou mesmo o insucesso de sua utilização. 

O equilíbrio hemodinâmico é essencial no processo de controle e reversão da disfunção que pode estar acometendo múltiplos órgãos do paciente crítico ou não, seja qual for a doença de base. E quando se busca o equilíbrio hemodinâmico, quer-se adequar a oferta tecidual de oxigênio e nutrientes para os tecidos, compensando assim qualquer desequilíbrio existente entre oferta e demanda.
As drogas utilizadas com este propósito podem ser didaticamente divididas em: vasopressoras (aumento da pressão arterial através da vasonconstrição arterial e venosa), vasodilatadoras e inotrópicas (agentes que melhoram a contratilidade miocárdica e melhoram o volume de ejecção). Algumas delas podem exercer diferentes funções e papéis, dependendo da dose prescrita. 

A escolha da droga vasoativa baseia-se no objetivo imediato do seu uso e nos efeitos colaterais potenciais. A maioria das drogas vasoativas tem início e término de efeitos rápidos.


Catecolaminas: Exibem efeitos de acordo com a dose utilizada, podendo estimular receptores alfa, beta e dopa.  Essas drogas são, então, classificadas em alfa adrenérgicas, beta adrenérgicas e dopaminérgicas ou mistas, de acordo com o predomínio de receptores sensibilizados.
- Noradrenalina, Adrenalina, Dopamina, Dobutamina

Vasodilatadores: O uso de drogas com ação vasodilatadora é útil nos casos em que a reposição volêmica adequada e a otimização do DC (débito cardíaco) com os agentes inotrópicos, não reverteram a condição de baixo débito, persistente.
- Nitroprussiato de sódio, Nitroglicerina

As drogas devem ser prescritas junto a outras medidas terapêuticas para adequar o equilíbrio hemodinâmico, a reposição volêmica é imprescindível, assim como a correção dos distúrbios hidroeletrolíticos, correção ácido-básicos e gasometria.

É necessário o uso da monitorização hemodinâmica, invasiva, quando da utilização dessas substâncias, pois suas potentes ações determinam mudanças drásticas tanto em parâmetros circulatórios como respiratórios, podendo, do seu uso inadequado, advirem efeitos colaterais indesejáveis, graves e deletérios, que obrigam sua suspensão.

Cuidados de Enfermagem à pessoa em uso de drogas vasoativas
  • Preparo, administração e controle das drogas
  • Monitorização de dados vitais
  • Monitorização do débito urinário
  • Monitorização da perfusão sanguinea
  • Cuidados com o acesso venoso
  • Registros de Enfermagem

PREPARO, ADMINISTRAÇÃO E CONTROLE DAS DROGAS 
  • Estabelecer critérios de diluição das drogas por meio de protocolos institucionais;
  • Observar aspecto da solução antes e durante a administração;
  • Administrar as drogas com a bomba de infusão;
  • Calcular a dosagem das drogas em ug/Kg/min
  • Controlar velocidade de infusão das drogas
  • Manter o peso do paciente atualizado
  • Atentar aos sinais de desidratação antes de iniciar a infusão da droga
  • Conhecer a ação, estabilidade e interação medicamentosa das drogas
  • Conhecer quais as drogas fotossensiveis
  • Conhecer quais drogas aderem ou são adsorvidas pelo plástico (neste caso utilizar frascos de vidro ou polietileno e equipo de polietileno)

MONITORIZAÇÃO DOS DADOS VITAIS
  • Atentar ás variações dos sinais do paciente por meio da aferição e monitorização contínua
  • Atentar para alterações do traçado de ECG 
  • Realizar leitura da PVC a cada hora ou conforme prescrição de enfermagem

MONITORIZAÇÃO DO DÉBITO URINÁRIO
  • Controlar volume urinário a cada hora ou conforme prescrição de enfermagem
  • Atentar para alterações das função renal como: diminuição ou aumento do débito urinário, acompanhamento dos valores de uréia, creatinina e clarence de creatinina
  • Realizar rigoroso controle hidrico
  • Realizar balanço hídrico 

MONITORIZAÇÃO DA PERFUSÃO SANGUÍNEA
  • Acompanhar as variações do pulso e perfusão periférica
  • Manter as extremidades protegidas das perdas de calor
  • Atentar para não garrotear os membros
  • Realizar rodízio do manguito de pressão arterial
  • Avaliar o enchimento capilar

CUIDADOS COM O ACESSO VENOSO
  • Preferencialmente usar cateter venosos central
  • Se possível via exclusiva
  • Lavar a via com menor volume possível
  • Restringir número de extensões e dispositivos na via da droga
  • Manter dispositivo venoso pérvio
  • Preferir veias calibrosas como a cefálica ou basílica em caso de acesso periférico
  • Não injetar drogas em bolus pela via utilizada para a infusão da droga
  • Observar sinais de infiltração e sinais de hiperemia local.



Caso tenha gostado, por favor deixe abaixo seu comentário!

Top da Semana

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Cuidados com a Gastrostomia

Gastrostomia e jejunostomia são procedimentos cirúrgicos para a fixação de uma sonda alimentar. Um orifício criado artificialmente na altura do estômago ou na altura do jejuno, objetivando uma comunicação entre a cavidade do estômago e a parede do abdômen.
O alimento pode ser administrado por uma bomba infusora ou através de seringa (alimentação em bolus). O preparo e "porcionamento" da dieta terá que seguir rigorosamente a orientação dada pelo nutricionista ou nutrólogo.
A higiene é fundamental para minimizar a contaminação da dieta e consequentes complicações gastrointestinais. Antes do preparo da dieta, é necessário realizar a lavagem adequada das mãos, dos alimentos e de todo material que será utilizado, bem como dos utensílios e da bancada onde haverá a manipulação. Depois da lavagem, recomendamos friccionar álcool a 70% na bancada e utensílios.

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…

Arrumação de leito hospitalar

A técnica tem como função proporcionar repouso, conforto e segurança ao cliente. O cliente (paciente) é o elemento principal de qualquer instituição de saúde. 
Considera-se paciente todo o individuo submetido a tratamento, controle especiais, exames e observações medicas. O paciente procura o hospital quando atingido pela doença, cria nele angustia, inquietação, que leva a exagerar o poder e conhecimento sobre os profissionais que o socorrem, muitas vezes torna-se difícil o tratamento do doente, originando problemas de relacionamento (paciente pessoal).
Quando uma pessoa esta doente, precisa de ajuda para muitas das tarefas que habitualmente realiza sozinha. Parte do trabalho das pessoas que se dedicam, ao cuidado do paciente em um hospital é manter agradável o local que o cerca. Ficar em quarto limpo e com tudo em ordem ajudará o paciente a sentir-se melhor e tornará sua permanência no hospital mais agradável.
O leito é um fator importante na obtenção de repouso e conforto, sendo impres…