Pular para o conteúdo principal

Acumular Certificados ou Sucesso?


Você deve estar perguntando: "hein?", "como assim?". Então vamos lá. Talvez este artigo sirva para outras áreas de atuação, mas no momento vou me referir aos enfermeiros pois é minha vivência prática.

Recentemente um colega publicou conteúdo de qualidade para atualização aos enfermeiros e o disponibilizou em sua plataforma de EAD (Educação a Distância). Este conteúdo era gratuito e incluía certificado.
Na postagem de divulgação havia informação de emissão de certificado. Mesmo estando escrito algumas pessoas perguntaram se "tinha certificado", ou seja, não leram com atenção o anúncio. Aqui já trago o primeiro questionamento: o quanto as pessoas estão atentas as informações escritas?
O hábito da leitura é importante para o desenvolvimento pessoal e profissional. Com ele aprimoramos o vocabulário, a aprendizagem, a memória, a concentração e diminui o estresse. Ao lermos vivenciamos a abertura de novos horizontes para a mente.

A comunicação eficaz é peça chave na segurança e qualidade da assistência a saúde. É fundamental a leitura correta do prontuário multiprofissional, da passagem de plantão, do laudo de exames e da prescrição de medicamentos. Atenção ao que está escrito evita erros e danos ao paciente.

Dando continuidade ao que eu relatava, os alunos entraram na plataforma do curso e segundo meu colega, a carga horária total era de duas horas e algumas pessoas ficaram alguns minutos e retiraram o certificado.

Fico me perguntando se esses são os mesmos profissionais que queixam que a enfermagem não é valorizada! Colecionar certificados para currículo não garante conquistas na carreira, melhor desempenho profissional ou melhores salários.

Compreendo que as faculdades solicitam certo número de horas em certificados e toda informação é importante, principalmente para os que estão em início de carreira mas falta a percepção de aproveitar os conteúdos de maneira consistente para agregar valor real ao profissional.

Mais do que vários certificados, o que diferencia os profissionais é o conhecimento e a maneira como o mesmo aproveita as oportunidades. É como se você fosse a um pesqueiro e lá te ensinassem diversas técnicas para pegar o peixe mais bonito orientando aonde eles estão escondidos, quais suas iscas preferidas, seus principais hábitos e comportamentos. Porém, suponhamos que você não atentou às orientações iniciais, se distraiu tirando fotos e terminou saindo de lá com o peixe menor e menos colorido. (Leia também: Planejamento de Carreira do Enfermeiro)


Você dirá que o outro teve sorte? Observe que nesta metáfora, as informações foram disponibilizadas a todos de maneira igual. Outro exemplo: realizar um curso de eletrocardiograma e dias depois seu paciente apresentar alguma disfunção cardíaca. O certificado não garantirá um bom atendimento, e sim a atenção dada as informações fornecidas.

Costumo dizer que conhecimento é poder! Poder de escolha, aumento de oportunidades e de destaque. Imagine o quão completo e admirado é um enfermeiro que através da leitura e estudo, adquire conhecimento e consequentemente capacidade de argumentar com propriedade com outros profissionais tais como médicos, fisioterapeutas e coordenadores!

Veja as dicas a seguir para se tornar um enfermeiro de destaque:
- adquira o hábito da leitura: melhora a fala, a escrita e amplia percepções;
- otimize seu tempo: escolha cursos que realmente sejam necessários e tenha clareza do motivo de realiza-los;
- sua dedicação é maior quando faz algo que gosta: opte por assuntos que te brilham os olhos;
- além de aproveitar o conteúdo teórico, faça Networking em eventos e formações;
- valorize os momentos de aprendizado: esteja focado no presente durante as aulas.


Caso esteja em processo de conclusão da graduação e conquista do primeiro emprego essas dicas ajudarão quando perguntarem sobre "sua experiência", pois sabemos que não tem a prática ainda mas você responderá com segurança sobre seus objetivos diante da clareza de suas escolhas durante a graduação.

A tecnologia e a internet trouxeram praticidade e facilidade ao acesso das informações. Atualmente existe conhecimento acessível de qualidade e com valores variados.

Seja um enfermeiro acumulador de conhecimento e não de certificados. Domine técnicas e desenvolva a capacidade de transmitir suas habilidades e verá a valorização do seu trabalho e da enfermagem começar por você!

Contribuiu com este Artigo:



Talita Barbi
Enfermeira há 15 anos (residência em Pneumologia e cursando Gestão da Qualidade) e Coach para Profissionais da Área da Saúde (desenvolvimento de liderança, planejamento de carreira e auxílio em processos seletivos)
Site: www.healthcoaching.com.br
Linkedin: www.linkedin.com/in/talitabarbi
Instagram: talita_barbi
FaceBook: www.facebook.com/talitabarbicoach/






Comentários

Top da Semana

Nervo Ciático inflamado: Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

O nervo ciático (ou isquiático) é o mais longo e espesso do corpo humano. Ele se origina no plexo lombo sacro, ou seja, na região lombar e é formado por diversas ramificações que se ligam às ultimas vértebras e à base da coluna vertebral e atravessam o quadril, os glúteos, a coxa, o joelho e o tornozelo.
Quando chega na metade do fêmur, o maior osso da coxa, o ciático se divide em fibular e tibial, que são ramificações que seguem pela perna.
A dor ciática caracteriza-se como uma dor persistente, semelhante a pequenos choques elétricos, sentida ao longo do trajeto do nervo ciático (coluna lombar, região posterior da coxa, pernas e pés). Pode vir acompanhada de formigamento, dormência ou fraqueza muscular no membro afetado e piora com o movimento. Nos casos mais graves, pode haver dificuldade para caminhar.

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…

Acesso venoso periférico: Técnica, Estabilização e tipo de Curativo

A punção venosa periférica é certamente o procedimento mais realizado nos atendimentos de emergências, além de ser o procedimento invasivo mais comum realizado pela enfermagem. Pelo menos 90% dos pacientes hospitalizados necessitam, em algum momento de um acesso venoso para realização de terapia intravenosa.
É a via de administração de medicação diretamente nas veias, nela é possível fazer medicação em grande quantidade e aquelas que pela via oral não são possíveis de administrar. São dois tipos: acesso venoso periférico, que é a inserção de um cateter nos membros (braço, mão, perna, etc.) e acesso venoso central, este é utilizado em pacientes que necessitam de grandes quantidades de medicamento e soro - é uma via calibrosa para infusão de algumas medicações específicas, como quimioterapia, dieta parenteral.

Acesso venoso periférico (membros):
O acesso venoso periférico pode ser puncionado por enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos. As vias de acesso preferenciais são as veias dos…