Faça como Milhares de Outras Pessoas, Cadastre-se e Receba Atualizações Diretamente em seu e-mail!

Atendimento ao paciente em terapia renal substitutiva (hemodiálise)



Em todas as clínicas especializadas, faz-se necessário o conhecimento e a experiência adequada para cumprir eficientemente uma rotina de assistência necessária para dar andamento no tratamento de seu público alvo.

Com os serviços de hemodiálise não é diferente, pois é um serviço especializado para atender pacientes em tratamento de terapia renal, em que se encontram clinicamente dependentes desse tratamento, pois suas funções renais estão comprometidas.

Em uma clinica de hemodiálise, os pacientes necessitam ser bem recebidos e encontrar o seu local de tratamento pronto para iniciar o tratamento neste dia, com segurança e todo o suporte necessário.

Para iniciar o tratamento, os pacientes são encaminhados para as máquinas dialisadoras e são submetidos á procedimentos de verificação de peso e pressão antes da terapia.

Além dos procedimentos vistos, existem outros procedimentos importantes, vejamos:

1. Ajustar a máquina de acordo com os dados do paciente
Colocar os dados necessários como UF (ultrafiltração), condutividade, nível de sódio e o tempo são necessários para iniciar o processo.

2. Verificar se o dialisador e linhas estão prontos para o uso
Isto pode ser feito antes do paciente acomodar-se próximo á sua máquina, para verificar se o kit de diálise do paciente está sem o produto químico utilizado para evitar contaminação das linhas (proxitane®,quando o conjunto é reutilizado), pois a presença do mesmo pode causar complicações para o paciente (hemólise). Se for um sistema novo, verificar se está cheio de soro e sem ar, como também aquecido (Ver temperatura prescrita e na máquina).

3. Fazer a assepsia do local da punção ou na região do catéter
É muito importante a limpeza do local onde as agulhas serão puncionadas (fístulas) ou cateter duplo lúmem (cdl).

4. Fazer a punção na fístula artério-venosa e conectar as linhas
Puncionar com muito cuidado e verificar a presença de sangue de acordo com os batimentos cardíacos e retirar o ar liberando um pouco o fluxo de sangue no interior das agulhas e no CDL.

5. Fixar as agulhas, ligar á elas as linhas do dialisador e ligar a máquina em um fluxo baixo, retirando o priming*
Uma diálise efetiva começa com seu início, mas para que isso aconteça devemos levar em consideração esses detalhes iniciais.
Ao verificar que o sangue está chegando ao filtro, ao mesmo tempo que pausa a máquina, fecha a linha por onde está saindo o priming ou a linha do isolador de pressão**(onde ele é conectado á máquina) e conecta á agulha do paciente (linha venosa) e prossegue o tratamento.

6. Monitorar o paciente durante a diálise
Verificar seus sinais vitais periodicamente, principalmente a pressão arterial pela perda de líquidos e eletrólitos que o tratamento proporciona, até o final do tratamento.
Quando se trata de hemodiálise, existem muitas coisas á se falar, mas esses passos são básicos para se proporcionar ao paciente renal o tratamento adequado para que seu tratamento seja o mais tranquilo e humanizado possível.




*priming - Quantidade de líquido no interior do dialisador.
**isolador de pressão - dispositivo redondo com duas roscas centralizadas (anterior e posterior) para conectar o filtro de ar á máquina para controlar a pressão interna da punção arterial (existem máquinas que possuem isoladores de pressão para as duas punções-arterial e venosa).

Contribuiu com este Artigo:


Adones de Souza Mendes
Técnico de enfermagem e graduando em Administração.
Facebook: Adones Mendes Instagram: mendesadones
e-mail: mendesadones@gmail.com






 
Enfermagem a profissão do cuidar