Últimas Postagens

Higiene da Cavidade Oral


A higiene oral tem como objetivo prevenir infecções endógenas e nosocomiais. No ambiente hospitalar, o procedimento deve ser realizado em pacientes internados acamados incapazes de realizarem a higienização.

A falta de higiene oral em pacientes acamados cria um ambiente propício para a proliferação de bactérias na cavidade bucal. A placa bacteriana acaba atuando como reservatório para a colonização das bactérias respiratórias, aumentando a incidência de pneumonia associada à ventilação mecânica dentre outras.


Materiais necessários:
Equipamento de Proteção Individual (EPI):
- Luvas de procedimento; 
- Máscara;
- Avental;
- Óculos de proteção. 

Materiais de higiene pessoal:
- Escova de dentes (preferencialmente de cerdas macias) ou Swab (risco de sangramento);
- Espátula envolta em gaze, pinça ou cotonetes;
- Pasta de dente ou antisséptico oral;
- Toalha de rosto;
- Saco plástico para resíduos;
- Tubo plástico (canudo);
- Sistema de aspiração montado (sondas de aspiração n° 10, n° 12 ou n° 14);
- Hidratante labial (por exemplo: ácidos graxos essenciais, glicerina, dexpantenol creme 5%);
- Copo descartável com água;
- Cuba rim ou cuba redonda;
- Equipamento de proteção individual;
- Abaixador de língua.



Etapas para execução:
Etapas iniciais
- Orientar o paciente sobre o cuidado que será oferecido;
- Organizar o ambiente;
- Preparar e levar os materiais necessários, colocando-os em local de fácil acesso (por exemplo na mesa de cabeceira).

Paciente acamado “consciente”:
- Higienizar as mãos conforme recomendações da ANVISA/OMS;
- Colocar o paciente na posição de Fowler (se possível) ou em decúbito lateral;
- Organizar o material próximo ao paciente protegendo-o com a toalha;
- Orientar o paciente sobre o modo correto de escovar os dentes e a língua;
- Calce as luvas de procedimento;
- Colocar a cuba rim no queixo do paciente, para receber a água utilizada;
- Oferecer ao paciente a escova de dentes com água e creme dental;
- Se necessário escove os dentes e a língua do paciente;
- Ofereça o copo com água para que o paciente enxágue a boca e cuspa dentro da cuba rim;
- Seque a boca do cliente;
- Hidratar os lábios (se necessário);
- Enxaguar a escova, secá-la e guarda-la em recipiente apropriado;
- Deixar o paciente confortável;
- Providenciar a limpeza, a ordem do ambiente e do material;
- Retire as luvas e higienizar as mãos conforme recomendações da ANVISA;
- Anotar a assistência prestada. 

Paciente acamado “inconsciente ou com limitações no autocuidado”:
- Higienizar as mãos conforme recomendações da ANVISA e calçar as luvas de procedimento;
- Colocar o paciente na posição de Fowler (se possível) ou em decúbito lateral;
- Colocar a toalha de rosto sob o queixo do paciente e protegendo a roupa de cama;
- Adaptar a cuba rim ao lado do queixo do paciente;
- Usar um abaixador de língua para abrir gentilmente a boca do paciente e deixe entre os dentes molares posteriores;
- Umedecer o Swab ou a gaze com a solução antisséptica e proceder à limpeza dos dentes, gengivas, mucosas da bochecha e palato;
- Lavar a língua, usando a espátula ou o cotonete;
- Proceder à aspiração da cavidade bucal;
- Hidratar os lábios (se necessário);
- Deixar o paciente confortável;
- Providenciar a limpeza, a ordem do ambiente e do material;
- Retire as luvas e higienizar as mãos conforme recomendações da ANVISA;
- Anotar a assistência prestada.

Pacientes que fazem o uso de prótese dentária:
- É responsabilidade da enfermagem proceder a higiene da prótese dentária do paciente em situações que ele não consiga realiza-la. Neste caso, a prótese dentária deve ser retirada com cuidado para que não machuque a boca do paciente;
- Recolocar a prótese dentária assim que o paciente apresentar condições para o uso;
- Pacientes inconscientes ou submetidos à cirurgia, a prótese dentária não deverá ser colocada;
- Identificar e guardar a prótese dentária do paciente em local seguro. 

Observações:
- A frequência da higiene oral está relacionada com a necessidade do paciente. A avaliação da equipe de enfermagem e/ou odontológica determinará a frequência necessária para a higiene oral;
- A solução aquosa de digluconato de clorexidina a 0,12% deverá ser utilizada para a cada 12 horas após a realização da higiene oral;
- Inspecionar a cavidade oral, observando alterações na mucosa, na salivação, mobilidade dental, presença de cáries, sangramento, quantidade de dentes, edemas e presença de lesões. As alterações identificadas devem ser registradas e comunicadas a equipe de saúde (enfermeiro, médico e cirurgião dentista).