Pular para o conteúdo principal

“Humanização no Atendimento em Serviços de Saúde”

 
No decorrer dos últimos meses, venho trabalhando em processos de “humanização ao cliente em âmbitos de serviços de saúde”, com um trabalho dinâmico sobre a humanização do atendimento hospitalar o qual me surpreendeu pela aceitação e tantas descobertas, nem imaginamos o quanto precisamos cada vez mais nos humanizar para o atendimento personalizado, individualizado.

Após muitas trocas de cases e relatos surpreendentes, de fato entendemos que a necessidade de planejamento em humanização se faz necessária e por isso foi criado o Programa Nacional de Humanização desde 2003 pelo Ministério da Saúde.
Trata-se de um trabalho que envolve as diretrizes, seja em âmbito do SUS ou em Instituições privadas, pois vivemos em dias complicados politicamente e financeiramente falando, levamos em consideração que o “mundo mudou”, as pessoas mudaram seus ritmos e não está nada diferente com as pessoas que atuam na saúde, até porque são plantões seguidos de plantões, e a qualidade esperada fica seriamente comprometida. (Leia o artigo Os Registros de Enfermagem e a Auditoria em Serviços de Saúde)

Atualmente, muitos perdem o foco do que se faz na área da saúde ou por conta das novas tecnologias, restrição de remuneração, restrição de materiais e equipes e ai não há envolvimento necessário com a missão e valores da Instituição, à partir daí perde-se a confiança em nossas equipes, devemos acender sinal de alerta.

Afinal o que é humanizar se somos humanos? Principalmente na saúde esta palavra tem um significado muito abrangente, basta pegarmos o dicionário e buscarmos em dicionários os sinônimos da palavra “Atendimento” que são: Auxílio, ajuda, apoio, suporte, assistência, serviço, acolhimento, recebimento...
E sem Acolhimento com empatia não se consegue humanização, de fato é necessário que se tenha a conscientização do que não gostaríamos que fizessem conosco na assistência em saúde que é contínua e individualizada (Leia também o artigo Assistência de enfermagem e os impactos nas rotinas administrativas e financeiras da Instituição)

Humanização é olhar com atenção, ouvir com calma, compreender de forma holística sua linguagem corporal, expressão facial, comunicação verbal e não verbal, além da compreensão dos gestos, respeito à espiritualidade de cada indivíduo, classe social e assim tornar a assistência única e personalizada, afinal, o cliente é único e indivisível, porém, as equipes que irão atendê-lo são várias e é aí que a comunicação deve ser estreitamente padronizada, capacitada para este diferencial priorizando a ética necessária ao processo.
Os clientes atualmente muito bem informados em sua maioria exigem segurança da informação e da assistência baseada em conhecimentos sólidos, naturalmente, mas será que estamos preparados para isso? Sabemos dos direitos em saúde do nosso cliente? – percebi nessa minha caminhada que ainda falta interação sobre o conhecimento, e ai fica complicado cobrarmos de nossos gestores o que não podemos oferecer, que é o engajamento adequado sobre o que está em torno da assistência em saúde.

É aí que questionamos também se seríamos nosso próprio cliente ou se confiaríamos nas equipes que nos atende quando precisamos. (Leia também A importância da Auditoria em Serviços de Saúde)

Os inúmeros pecados em atendimento hospitalar podem ocorrer, desde o primeiro atendimento telefônico, recepção, agendamento, pois uma única letra ou números substituídos equivocadamente pode prorrogar o atendimento indevidamente, gerando ainda mais complicações, até porque a identificação correta do paciente faz parte das metas de Segurança do Paciente.

Parece simples ser humanizado na assistência em saúde, porém, dependemos de processos de comunicação e gestão cada vez mais eficazes, por conta de tantas novas tecnologias e automatizações de serviços o desafio tem aumentado, mas através do olhar de dentro da operação, pode-se favorecer o bom relacionamento entre equipes multidisciplinares o que reflete em quem está na linha de frente, e ai sim ocorre a fidelização que é o resultado de excelência em atendimento humanizado, capaz de sintonizar a essência, a competência, a habilidade e a atitude do profissional.


E como dizia Aristóteles: Nós somos o que fazemos repetidamente. A Excelência, portanto, não é um ato, mas sim um hábito.

Desta forma a sensibilização para atendimento ao cliente humanizado em âmbito de serviços de saúde, está atrelado diretamente a empatia, ética pessoal e profissional, comprometimento com a missão, visão e valores de todos os envolvidos.

A excelência em atendimento humanizado em serviços de saúde é alcançada mediante ato de prática diária com entendimento da cultura organizacional, aplicada ao processo de qualidade.

Contribuiu com este Artigo:

Alexandra Garcia

RX Consultoria e Serviços 
Implantação dos serviços de auditoria em saúde, integração e treinamentos.
22 anos de experiência em saúde suplementar.
Enfermeira e gestora em recursos humanos 
Pós graduada em enfermagem do trabalho e auditoria em saúde com extensão pela FGV de SP.
e-mail: auditoria_saude@outlook.com


Comentários

Top da Semana

Nervo Ciático inflamado: Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

O nervo ciático (ou isquiático) é o mais longo e espesso do corpo humano. Ele se origina no plexo lombo sacro, ou seja, na região lombar e é formado por diversas ramificações que se ligam às ultimas vértebras e à base da coluna vertebral e atravessam o quadril, os glúteos, a coxa, o joelho e o tornozelo.
Quando chega na metade do fêmur, o maior osso da coxa, o ciático se divide em fibular e tibial, que são ramificações que seguem pela perna.
A dor ciática caracteriza-se como uma dor persistente, semelhante a pequenos choques elétricos, sentida ao longo do trajeto do nervo ciático (coluna lombar, região posterior da coxa, pernas e pés). Pode vir acompanhada de formigamento, dormência ou fraqueza muscular no membro afetado e piora com o movimento. Nos casos mais graves, pode haver dificuldade para caminhar.

Cateter Venoso Central e os cuidados de Enfermagem

O cateter venoso central (CVC) é um sistema intravascular utilizado para administração de fármacos, infusão de derivados sanguíneos, nutrição parenteral, monitorização hemodinâmica, terapia renal substitutiva, entre outros. É um dispositivo que pode permanecer no paciente por longo período, minimizando o trauma associado às repetidas inserções de um cateter venoso periférico.

A cateterização venosa central é um procedimento amplamente utilizado em pacientes críticos, os quais demandam assistência à saúde de alta complexidade.
Os cuidados de enfermagem à pessoa com cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.
Locais de inserção: As veias jugular interna, subclávia e femoral são as escolhidas para a inserção do CVC. Apesar de sua utilização em pacien…

Drenos e os cuidados de Enfermagem

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.
Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.
As indicações para colocação de controle de drenos são específicas para cada tipo de dreno. 
Podem ser classificados em: 
- Dreno aberto, ex.: penrose; 
- Dreno de sucção fechada; 
- Dreno de reservatório; 
- Cateteres para drenagem de abscesso.



Dreno de Penrose 
É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão. 
Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de p…

Tipos de Curativos

Curativo: é o tratamento utilizado para promover a cicatrização da ferida, proporcionando um meio adequado para esse processo. A escolha do curativo depende do tipo de ferida.
Curativo ideal  - Manter alta umidade entre a ferida e o curativo;  - Remover o excesso de exsudação, evitando a maceração dos tecidos próximos; - Permitir a troca gasosa;  - Fornecer isolamento térmico;  - Ser impermeável as bactérias;  - Estar insento de substâncias tóxicas;  - Permitir sua retirada sem ocasionar lesão por aderência.


Tipos de Curativos  Existem, atualmente, muitos tipos de curativos, com formas e propriedades diferentes. É importante antes da realização do curativo, a avaliação da ferida e aplicação do tipo de curativo que melhor convier ao estágio que se encontra, a fim de facilitar a cura.
- Alginatos;  - Carvão Ativado; - Hidrocolóide; -  Hidrogel - Filmes;  -  Papaína;  -  Antissépticos;  -  Ácidos Graxos Essenciais
Alginatos: são indicados para feridas exsudativas, com sangramento, limpas ou infectadas, agud…

Acesso venoso periférico: Técnica, Estabilização e tipo de Curativo

A punção venosa periférica é certamente o procedimento mais realizado nos atendimentos de emergências, além de ser o procedimento invasivo mais comum realizado pela enfermagem. Pelo menos 90% dos pacientes hospitalizados necessitam, em algum momento de um acesso venoso para realização de terapia intravenosa.
É a via de administração de medicação diretamente nas veias, nela é possível fazer medicação em grande quantidade e aquelas que pela via oral não são possíveis de administrar. São dois tipos: acesso venoso periférico, que é a inserção de um cateter nos membros (braço, mão, perna, etc.) e acesso venoso central, este é utilizado em pacientes que necessitam de grandes quantidades de medicamento e soro - é uma via calibrosa para infusão de algumas medicações específicas, como quimioterapia, dieta parenteral.

Acesso venoso periférico (membros):
O acesso venoso periférico pode ser puncionado por enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos. As vias de acesso preferenciais são as veias dos…